Inquérito concluído: jovem que matou professor em Planaltina é preso

Mateus da Silva Castro é conhecido no meio policial devido a quase duas dezenas de ocorrências policiais em Goiás e no Distrito Federal por vários delitos

Postado em: 23-03-2022 às 18h14
Por: Maria Paula Borges
Mateus da Silva Castro é conhecido no meio policial devido a quase duas dezenas de ocorrências policiais em Goiás e no Distrito Federal por vários delitos | Foto: PCGO

O Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Planaltina concluiu, nesta quarta-feira (23/3), o inquérito a respeito do homicídio que vitimou o professor Denes Marlio Lima Neres, que aconteceu no dia 1º de março de 2022. Conforme as investigações, Denes conheceu um rapaz chamado Mateus da Silva Castro enquanto andava pelas ruas da cidade.

Ao conhecer Mateus, Denes informou que havia acabado de chegar do Piauí e que gostaria de conhecer e “curtir” a cidade. Com isso, o rapaz adquiriu duas porções de cocaína e algumas bebidas, se dirigindo para uma residência no bairro Itapuã, em Planaltina.

Já na residência, os dois se desentenderam por possíveis razões homofóbicas e Mateus utilizou uma pedra para golpear Denes na cabeça até a morte. Além disso, após o ocorrido, o investigado pegou dois aparelhos celulares da vítima e se dirigiu para a região central da cidade para vender os objetos, por R$ 350.

Continua após a publicidade

Depois de vender os celulares, o investigado foi até um bar/prostíbulo e relatou o que havia acontecido para duas garotas de programa que conhecia. Então, o rapaz e as duas mulheres arquitetaram um plano para ocultar o cadáver da vítima e dificultar a investigação. Para isso, utilizaram o veículo de uma das garotas, compararam gasolina e pegaram o corpo na residência, o enrolaram em um cobertor e levaram para um local descampado.

Além disso, ao chegar no local, usando o combustível, atearam fogo no corpo da vítima.

Após o crime, as garotas deixaram Mateus em um hotel e, no dia seguinte, o corpo foi encontrado parcialmente carbonizado, entretanto foi identificado apenas no dia 5 de março. Durante a investigação, a Polícia Civil elucidou os fatos, concluindo que o autor é Mateus.

Mateus tem apenas 18 anos, mas é conhecido no meio policial devido a quase duas dezenas de ocorrências policiais em Goiás e no Distrito Federal por vários delitos.

A 1ª Vara Criminal da Comarca de Planaltina, no início desta semana, deferiu ordens judiciais de buscas e nova prisão do investigado após representação da PCGO. Nesta quarta-feira pela equipe do GIH em Brasília.

Na conclusão do inquérito, o delegado responsável deve indiciar Mateus nos delitos de homicídio qualificado, ocultação/destruição de cadáver, fraude processual e associação criminosa. Já as duas garotas de programa serão indiciadas pelos delitos de ocultação/destruição de cadáver, fraude processual e associação criminosa.

Veja Também