Avião de pequeno porte brasileiro que sumiu na Argentina na quarta-feira não ativou localizador

Postado em: 07-04-2022 às 18h47
Por: Augusto Diniz
Estavam no voo o empresário de Santa Catarina Antônio Carlos Castro Ramos, o advogado Mário Pinho e o médico Gian Carlos Nercolini | Foto: Reprodução/Instagram

Um avião de pequeno porte brasileiro sumiu no espaço aéreo da Argentina na quarta-feira (6/4) Até as 7h50 desta quinta-feira (7/4), o aparelho que ajudaria a localizar a aeronave não foi ligado, de acordo com a Empresa Argentina de Navegação Aérea (Eana). Estavam no voo o empresário de Santa Catarina Antônio Carlos Castro Ramos, o advogado Mário Pinho, e o médico Gian Carlos Nercolini.

O Serviço de Busca e Salvamento da Argentina procura a aeronave desde quarta-feira. Com matrícula PP-ZRT, o modelo de avião de pequeno porte RV-10 está registrado no nome do empresário da construção civil Antônio Carlos Castro Ramos, segundo o registro da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) do Brasil. Familiares disseram que o dono da aeronave era quem pilotava durante a viagem. Antônio Carlos é considerado um dos nomes mais importantes da arquitetura urbana de de Santa Catarina.

Fabricada em 2016, a aeronave tem espaço para três pessoas e pesa 1.224 quilos. Segundo dados da Anac, o número de série é o número de serie é o FVE-2182. O avião desse modelo não tem autorização para fazer voos por instrumentos, apenas manual. O chamado voo por instrumentos é utilizado para auxiliar o piloto em caso de mau tempo.

O transmissor de localização de emergência (ELT, em inglês) geralmente é acionado quando há o impacto, por exemplo, da queda do avião. O piloto também pode ligar o dispositivo de forma manual. Até o momento, nenhum sinal foi emitido pelo aparelho da aeronave dos brasileiros. A Anac explica que o mecanismo serve para ajudar na busca porque emite sinais que são recebidos por uma base aérea e tem uso requisitados em aviões de transporte de passageiros, como é o caso do modelo brasileiro desaparecido.

Viagem

Os três saíram na manhã de ontem do aeroporto de El Calafate, que fica na Patagônia argentina, na província de Santa Cruz. O voo tinha como destino Trelew, na costa da Argentina no Oceano Atlântico, a quase 1,4 mil quilômetros da cidade de decolagem.

O último contato com a aeronave brasileira foi recebido pela torre de controle de Comodoro Rivadavia, que fica a 375 quilômetros do destino do voo, a cidade de Trelew. Os brasileiros passavam pela cidade de Bahía Bustamante, na província de Chubut, a 258 quilômetros do local em que pousariam. De acordo com a Defesa Civil da Argentina, o avião sumiu dos radares por volta de 18h30 de quarta-feira.

No momento do desaparecimento, chovia na província, mas não atrapalhava o tráfego aéreo, informaram a Eana. De acordo com o Clarín, as chuvas chegaram a 40 milímetros em determinado momento da quarta-feira, com fortes tempestades na região.

Modelo do avião de pequeno porte que desapareceu na quarta-feira (6/4) na Argentina durante voo | Foto: Wagner Eduardo/JetPhotos
Compartilhe: