Policial militar é morto em Belford Roxo após ser perseguido por criminosos depois de pagode

Amigos e parentes lamentam a morte através das redes sociais. Ele é descrito como um policial orgulhoso, marido dedicado e pai coruja.

Postado em: 25-04-2022 às 12h56
Por: Cecília Sampaio
Amigos e parentes lamentam a morte através das redes sociais. Ele é descrito como um policial orgulhoso, marido dedicado e pai coruja. | Foto: Representação

O policial militar Paulo Rangel foi morto na madrugada desta segunda-feira (25/4) em troca de tiros na cidade de Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Ele deixou a viúva, Cinthia Rangel, e o filho. A delegacia de homicídios investiga o caso.

Antes de ser morto Paulo estava em um pagode no Centro de Recreação Kaliffas, localizado no bairro São Bernardo. Lá, criminosos o reconheceram e o seguiram. Minutos depois ele foi abordado na Avenida Joaquim Costa Lima quando voltava para casa.

O agente reagiu e houve troca de tiros, onde ele foi atingido no tórax. O Batalhão do município foi acionado e chegaram a levá-lo para o hospital, onde Paulo não resistiu e veio a falecer.

Continua após a publicidade

O policial era lotado no Destacamento de Polícia Ostensiva (DPO) do Roseiral, do 39º BPM (Belford Roxo). Ele se orgulhava da profissão inclusive posando para fotos com o filho usando farda.

Amigos e parentes lamentam a morte através das redes sociais. Ele é descrito como um policial orgulhoso, marido dedicado e pai coruja.

Antes de entrar para a Polícia Militar ele foi paraquedista da Força Aérea Brasileira. Se formou como policial militar em agosto do ano passado.

Ainda não há informações sobre local e data do sepultamento.

Veja Também