“Realização de um sonho”: casamentos homoafetivos aumentam e casais falam sobre desafios

Uniões homoafetivas formalizadas em cartório cresceram mais de 35% somente em 2021

Postado em: 27-04-2022 às 14h41
Por: Augusto Sobrinho
Uniões homoafetivas formalizadas em cartório cresceram mais de 35% somente em 2021 | Foto: Arquivo pessoal

Muito além do bolo, de “morar juntos” e da lua de mel, o casamento é tido como a oficialização e representação do amor entre duas pessoas, que desejam compartilhar uma vida juntos. Entretanto, para uma parte dos brasileiros o direito de reconhecer o matrimônio civil só foi possível, a partir de maio de 2011, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu oficialmente as uniões homoafetivas.

Desde então, o número de casais LGBTQIA+, que vão à Justiça para realizar o casamento civil, só cresce. De acordo com dados da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen), somente entre janeiro e setembro de 2021, 8.780 casais homoafetivos formalizaram seus casamentos em cartórios de todo o país. O número representa um aumento de 35,8% no comparativo com o mesmo período de 2020.

Juntos há oito anos, os empresários da beleza Ádno Moreira e Rogério Leandro, de 33 e 36 anos respectivamente, subiram ao altar na última quarta-feira (20/04). Para eles, o casamento foi a realização de um sonho e também revelam ter o desejo de que outros casais LGBTQIA+ possam também converter uma união estável em casamento, pois os ajuda acreditar que isso será natural diante da sociedade.

Continua após a publicidade

“O intuito do nosso casamento, além de celebrar o nosso amor, é também mostrar para a sociedade um casamento homoafetivo de forma natural, uma história de união e respeito como qualquer outra. Essa forma de representatividade é muito importante”, afirmam. Além disso, acreditam que o próprio cenário de pandemia exerceu forte impacto em diversas histórias e incentivou muitos casais a fazerem o mesmo que eles. 

“Depois de sentir a perda precoce de pessoas tão jovens, de ver uma guerra se formar, ter noção de tanto sofrimento que existe no mundo, viver o amor hoje é uma forma de lutar. Muitos podem perguntar para quê externar isso e a nossa resposta é que para que sirva de incentivo e força para uma ou mais pessoas também realizarem seus sonhos sem medo do julgamento alheio”, concordam.

Embora o preconceito ainda siga como um grande problema, o crescimento dos casamentos civis reflete uma maior aceitação por parte das famílias, assim como mais liberdade e encorajamento, até mesmo de muitos casais LGBTQIA+ que já viviam juntos e decidiram oficializar. Com isso, também conseguem incluir os parceiros em plano de saúde, herança, reconhecimento de pais homoafetivos na certidão de nascimento e até mesmo adoção.

“Nossa rotina é contribuir para que o sonho das nossas clientes seja o mais inesquecível possível e ver agora o nosso próprio momento chegar torna a jornada ainda mais gratificante. Se anos atrás já chegamos a pensar que não poderíamos constituir uma família, hoje damos mais um passo para transformar a nossa sociedade. Sempre será tempo de valorizar a paz, o amor e a união, independente de como seja”, finalizam.

Veja Também