O que se sabe sobre a morte do homem asfixiado pela Polícia Rodoviária de Sergipe

As imagens relatadas no boletim de ocorrência mostram a vítima sendo abordada pelos agentes de forma brutal e desumana. No vídeo é possível ver, ao que parece ser, bombas de lacrimogênio usadas na ocasião.

Postado em: 26-05-2022 às 14h42
Por: Victória Vieira
As imagens relatadas no boletim de ocorrência mostram a vítima sendo abordada pelos agentes de forma brutal e desumana. No vídeo é possível ver, ao que parece ser, bombas de lacrimogênio usadas na ocasião | Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (25/5), mais uma pessoa se tornou vítima de violência policial. Genivaldo de Jesus Santos, foi asfixiado após a Pólícia Rodoviaria Federal, trancá-lo dentro de um porta-malas. O caso aconteceu na tarde de ontem em Umbaúba, localizada na região do litoral sul de Sergipe. As imagens relatadas no boletim de ocorrência mostram a vítima sendo abordada pelos agentes de forma brutal e desumana. No vídeo é possível ver, ao que parece ser, bombas de lacrimogênio usadas na ocasião.

A abordagem foi feita na Rodovia BR-101, ele foi parado pela blitz enquanto estava pilotando uma moto. Testemunhas que gravaram a cena, flagraram os três policiais tentando imobilizar Genivaldo após encontrar uma cartela de remédio com ele, entretanto, o responsável pelo vídeo estava avisando aos policiais que o homem tinha problemas mentais, o próprio parente da vítima também já havia falado sobre isso aos policiais, mas eles ignoraram. “Foi dada a ordem de parada, ele parou, botou a moto no tripé e atendeu todos os comandos que o policial deu. O policial disse para ele levantar a camisa, ele levantou, e falou para o policial que estava com remédios e receita no bolso, indicando que tinha problemas mentais”, explicou Wallisson de Jesus, sobrinho de Genivaldo, em entrevista ao portal da Rádio Fan F1, de Sergipe.

Segundo Wallison, a vítima estava cooperando com a abordagem policial, erguendo os braços, mostrando que não estava armado e obedecendo os comandos dados, mas os agentes gritavam com ele e soltando ofensas. Logo em seguida, ele é visto sendo jogado no porta-malas, com a fumaça de um gás saindo viatura. É possível ver que na parte debaixo da traseira, as pernas do homem estavam balançando freneticamente em desespero, por conta da fumaça espalhada. Um dos policiais chegou a segurar as pernas de Genivaldo. O homem gritava no interior do carro. Enquanto isso, pessoas que assistiam a cena preferiram não chegar perto dos policiais. Quando não houve mais nenhum vestígio de vida e os gritos de socorro cessaram, os policiais decidiram ir embora do local, fechando a porta traseira da viatura.

Continua após a publicidade

O corpo de Genivaldo foi liberado do IML, em Aracaju, por volta das 22h30 de ontem, ele será velado em Santa Luzia do Itanhí. A Esposa de Genivaldo, Maria Fabiane dos Santos, confirmou que ele tinha problemas mentais e o que fizeram com ele não se encaixa como fatalidade. “Foi um crime mesmo, eles agiram com crueldade para matar ele”, relatou.

Em nota ao a PRF de Sergipe lamentou sobre o ocorrido e disse que foi aberto um procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos policiais envolvidos. A polícia judiciária irá investigar o caso. De acordo com a declaração, Genivaldo resistiu a abordagem da equipe da PRF e que por isso, foram usadas técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo para sua contenção. Confira:

Na data de hoje, 25 de maio de 2022, durante ação policial na BR-101, em Umbaúba-SE, um homem de 38 anos, resistiu ativamente a uma abordagem de uma equipe PRF. Em razão da sua agressividade, foram empregados técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo para sua contenção e o indivíduo foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil em Umbaúba.

Durante o deslocamento, o abordado veio a passar mal e socorrido de imediato ao Hospital José Nailson Moura, onde posteriormente foi atendido e constatado o óbito.

A equipe registrou a ocorrência na Polícia Judiciária, que irá apurar o caso. A Polícia Rodoviária Federal em Sergipe lamenta o ocorrido e informa que foi aberto procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos policiais envolvidos.

Veja Também