No mês de conscientização a vacinação, conheça as principais vacinas e testes essenciais para recém-nascidos

Postado em: 14-06-2022 às 14h50
Por: Victória Vieira
É importante que a imunização e testes sejam feitos nos primeiros dias de vida do bebê, pois previnem qualquer tipo de doença que possa ocorrer | Foto: Reprodução

No mês de conscientização a vacinas, o Hospital da Mulher está realizando uma campanha de pró-vacinação para recém- nascidos. É importante que a imunização e testes sejam feitos nos primeiros dias de vida do bebê, pois previnem qualquer tipo de doença que possa ocorrer. Confira quais são os mais necessários:

O teste do pezinho consiste em avaliar 40 doenças. É feito após furar e apertar o pé do bebê para garantir a saída do sangue, pois nas laterais do calcanhar há uma grande quantidade de vasos sanguíneos no local, e consequentemente, maior circulação de sangue.

Não só o teste do pezinho, mas o teste do coraçãozinho mede a oxigenação e verifica se existe alguma alteração cardíaca no bebê. A realização é com um oxímetro de pulso no tornozelo do bebê. O alerta é que se caso não esteja chegando a quantidade ideal de oxigênio nesse órgão, o médico deve pedir exames mais detalhados.

Após 30 dias do nascimento o teste da orelhinha é necessário. Em cada mil recém-nascidos, seis apresentam alterações auditivas. O teste ocorre com fones de estímulos sonoros no ouvido do bebê. A cóclea, região do ouvido interno do bebê, é estimulada e o resultado será medido por um aparelho. Quanto mais cedo descobrirem alguma alteração ou resultado negativo, é melhor, tendo em vista que a deficiência auditiva atrapalha a alfabetização e socialização. É recomendado que o teste seja feito ainda na maternidade.

Outros dois testes indispensáveis é o teste do olhinho e linguinha. O pediatra irá verificar com uma lanterna se o globo ocular apresenta alguma deformidade ou lesão que leve à cegueira ou à baixa visão. Já o teste da linguinha observa se a parte debaixo da língua é presa. Caso seja, há uma maior dificuldade em sugar o leite materno, principal fonte de nutrição e imunidade dos recém-nascidos.

Diante desse fator, as vacinas são ainda mais eficazes. De acordo com a instrutora Christina Souto, o cartão de vacinação é um passaporte para uma vida mais saudável. “Ao ser amamentado pela mãe, o bebê recebe uma carga de anticorpos, mas, ao longo do primeiro ano de vida, essa carga vai se perdendo, daí a necessidade da vacinação. A vacina é confiável, passa por vários testes que garantem sua segurança e qualidade”, explica.

As vacinas BCG, Hepatite B, Hexavalente, Rotavírus, Meningocócica, protegem o sistema imunológico da criança contra a tuberculose pulmonar, renal, ganglionar e genital; lesões no fígado; hepatite B, difteria, tétano, coqueluche, haemophilus; influenza; poliomielite; processos virais e meningites.

Compartilhe: