PF acredita que corpos encontrados em AM sejam do jornalista e indigenista desaparecidos

Postado em: 16-06-2022 às 08h45
Por: Francisco Costa
Suspeito confessou participação e indicou local (Foto: Ministério da Justiça/Reprodução)

Depois de Amarildo da Costa Oliveira confessar que ajudou a ocultar os corpos do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, na quarta-feira (15), a Polícia Federal (PF) disse acreditar que os corpos encontrados no Vale do Javari sejam de fato da dupla. “Há grandes chances.”

O suspeito conhecido como “Pelado” disse saber a localização, mas afirmou que não foi quem executou os dois – antes ele teria dito que matou os dois com disparos de arma de fogo. A perícia ainda irá revelar a causa.

Além de Amarildo, o irmão dele, Oseney de Oliveira, também foi preso. Ele, contudo, não confessou. A polícia investiga a participação de uma terceira pessoa no caso e mais prisões podem ocorrer. A motivação do crime ainda não foi divulgada.

Os remanescentes humanos, como citou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, serão levados para perícia em Brasília.

Prisões

Vale lembrar, Amarildo – o primeiro suspeito – foi preso em flagrante pela Polícia Federal após encontrarem vestígios de sangue em sua embarcação. A prisão ocorreu durante uma abordagem por posse de drogas e munição calibre 762, de uso restrito. Ele também estava portando armamento de caça.

Assim que detido, a polícia o considerou suspeito no caso. Dias depois, a PF prendeu o segundo suspeito, Oseney, irmão de Amarildo.

Relembre o caso do indigenista e jornalista desaparecidos

O jornalista e o indigenista desapareceram no último dia 5, no Vale do Javari, na Amazônia. A dupla fazia o trajeto da comunidade ribeirinha São Rafael até a cidade de Atalaia do Norte.

Na segunda-feira (13), esposa do jornalista britânico, Alessandra Sampaio, disse que os corpos de Dom Phillips e Bruno Pereira foram encontrados. Em seguida, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) declarou que a informação não procedia.

“Bruno e Dom seguem desaparecidos. As informações de que corpos foram encontrados não procedem. As organizações indígenas que acompanham o caso seguem pressionando a continuidade nas buscas. Solicitamos que aguardem uma posição oficial”, escreveu a Abip na rede social.

Objetos encontrados

No domingo (12), encontraram objetos pessoais da dupla. Segundo a polícia e os bombeiros, tratavam-se de botas, calça, chinelo, além de um cartão saúde do indigenista. Já do jornalista britânico eles acharam uma mochila e botas, um notebook e sandálias.

Os itens pessoais estavam amarrados em uma árvore na área de igapó, caminho onde eles desapareceram.

As autoridades passaram a concentrar as buscas na região. Ainda na última segunda-feira, a PF disse ter esperança de encontrar a dupla.

Compartilhe: