Embarcação de Bruno Pereira e Dom Phillips é encontrada no Amazonas, diz Polícia

Postado em: 20-06-2022 às 09h23
Por: Luan Monteiro
Barco estava a cerca de 20 metros de profundidade com sacos de areia para não flutuar. Outros itens também foram encontrados. | Foto: Reprodução

A embarcação em que o indigenista Bruno Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips viajavam foi encontrada no Rio do Itacoaí, no Amazonas. Segundo a Polícia Civil, a lancha foi encontrada na noite do último domingo (19/6) nas proximidades da comunidade de Cachoeira. A Polícia Federal confirmou a localização da embarcação.

O local havia sido indicado por Jeferson da Silva Lima, o “Pelado da Dinha”, preso no último sábado (18). Ele é um dos oito suspeitos de ter assassinado Bruno e Dom.

De acordo com a polícia, a lancha foi localizada a cerca de 20 metros de profundidade, emborcada com seis sacos de areia para dificultar a flutuação, a uma distância de 30 metros da margem do rio.

Segundo a polícia, foram cinco horas de operação para encontrar a lancha. Além do casco da embarcação, também foram encontrados um motor Yamaha 40 hp, quatro tambores que eram de propriedade do Bruno, sendo três em terra firme e um submerso.

A PF afirma que a embarcação será submetida, nos próximos dias, aos exames periciais necessários para tentar entender como o assassinato de fato ocorreu.

Mortos a tiros

A Polícia Federal (PF) concluiu a análise da causa da morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips. Em nota divulgada no último sábado (18/6), a PF informou que Bruno Pereira foi morto com dois tiros na região abdominal e torácica e um na cabeça. Dom Phillips levou um tiro no abdômen/tórax. A munição usada no assassinato foi típica de caça.

A munição de caça utilizada no crime dispara projéteis múltiplos, chamados de balins. Assim, um único tiro pode causar uma série de perfurações provocadas por pequenas esferas de chumbo. Nos últimos dias, a PF já havia confirmado a identidade de Phillips e Pereira nos restos mortais enviados a Brasília para a perícia.

Os corpos foram encontrados após a confissão do pescador Amarildo da Costa Pereira, conhecido como Pelado. Ele indicou à polícia o local onde os corpos foram enterrados. Até o momento, três pessoas estão presas por suspeita de participação no crime.

Leia a íntegra da nota da Polícia Civil:

“Neste domingo (19/06), a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), com o apoio da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), Marinha do Brasil e Corpo de Bombeiros, localizou a lancha em que estavam o indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips.

A lancha foi localizada a cerca de 20 metros de profundidade, emborcada com seis sacos de areia para dificultar a flutuação, a uma distância de 30 metros da margem direita do rio Itacoaí, nas proximidades da comunidade Cachoeira. O local foi indicado pelo Jeferson da Silva Lima, o “Pelado da Dinha”, preso no sábado (18/06).

Conforme o delegado Alex Perez, titular da 50a Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Atalaia do Norte, foram quase cinco horas de operação. Além do casco da lancha, também foram encontrados um motor Yamaha 40 hp, 4 tambores que eram de propriedade do Bruno, sendo 3 em terra firme e 1 submerso.”

Leia a íntegra do comunicado da Polícia Federal:

“OPERAÇÃO JAVARI 19/06/2022 – 2a Edição

Manaus/AM – O Comitê de Crise, coordenado pela Polícia Federal/AM, informa que, dando continuidade às buscas pela embarcação utilizada pelas vítimas, por volta das 20h20 (horário local) de hoje, 19 de junho, bombeiros e militares da Marinha a localizaram.

A embarcação será submetida nos próximos dias aos exames periciais necessários, de modo a contribuir com a completa elucidação dos fatos.”

Compartilhe: