Faxineiros estão em primeiro lugar de profissões com mais vagas no Brasil

A análise mostra que em um ano, foram criados 163,4 mil novos empregos para faxina.

Postado em: 11-07-2022 às 13h41
Por: Victória Vieira
A análise mostra que em um ano, foram criados 163,4 mil novos empregos para faxina | Foto: Divulgação/ Prefeitura de Aparecida de Goiânia/Rodrigo Estrela

Um levantamento feito pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), relatou que entre todas as profissões presentes no Brasil, as vagas de faxineiro foram as mais requisitadas nos últimos 12 meses até o mês de maio.

A pesquisa foi feita a partir dos dados disponibilizados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência. A análise mostra que em um ano, foram criados 163,4 mil novos empregos para faxina.

Além disso, a pesquisa produziu um ranking das profissões que mais geraram emprego em 12 meses entre as 2.608 ocupações da Classificação Brasileira de Ocupações (CBO). Confira as 5 primeiras posições:

Continua após a publicidade

  • Faixineiro; (163,4 mil empregos)
  • Assistente administrativo; (122,5 mil empregos)
  • Vendedor de comércio varejista; (119, 6 mil empregos)
  • Alimentador de linha de produção; (117, 33 mil empregos)
  • Auxiliar de escritório; (113,3 mil empregos)

Durante a pandemia, de acordo com a CNC, cerca de 1,59 milhão de faxineiros formais foram registrados. Entretanto, ano passado, o resultado foi de 1,79 milhão. Isso representa uma expansão de 10% em um ano.

Essa salto pode ser explicado em decorrer de uma maior abertura no mercado de serviços, já que houve uma priorização em trabalhos presenciais com cargos de baixa renumeração e qualificação.

“O setor de serviços foi o último a reagir e é o que está impulsionando o mercado de trabalho. As empresas reabrindo passam a demandar mais serviços como os de faxina”, informa Fabio Bentes, autor da pesquisa e economista da CNC. “É uma profissão importante, essencial, mas do ponto de vista do investimento não é ocupação que irá agregar muito em termos de resultado para a empresa”, acrescentou.

Veja Também