Bancos flexibilizam o uso de nome social de pessoas trans em cartões de crédito

Essa ação vem desde 2016, graças ao decreto nº 8.727 que garante e permite que alguns bancos utilizem o nome social de travestis e transsexuais.

Postado em: 20-07-2022 às 13h30
Por: Victória Vieira
Com a modernização e flexibilidade, a alteração é permitida através do próprio aplicativo do banco | Foto: Reprodução

Recentemente as instituições bancárias tem se mostrado bastante engajadas nas questões básicas dos direitos LGBTQIA+. Essa ação vem desde 2016, graças ao decreto nº 8.727 que garante e permite que a utilização o nome social de travestis e transsexuais em instituições e fundações.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços (Abecs) não existem leis que obriguem as entidades privadas a adquirem os nomes sociais, porém, diversos emissores de cartões de banco e fintechs brasileiras, fazem a alteração, ou seja, parte de uma atitude independente.

Os principais bancos que fazem parte da iniciativa são: Nubank, C6 Bank, Santander, Itaú, Bradesco e Banco Brasil. Com a modernização e flexibilidade, a alteração é permitida através do próprio aplicativo do banco.

Continua após a publicidade

Em Anápolis, município de Goiás, as pessoas estão conseguindo ter a flexibilidade de alterar o nome social.

“Todos os bancos deveriam adotar essa política, facilitar o acesso, inclusive para que o procedimento seja feito por meios digitais, não ter que ir a uma agência física, sendo que quase nem existem mais”, comenta Symmy Larrat, presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT).

É importante que as instituições bancárias pratiquem e colaborem com a causa, pois isso evita o constrangimento e humaniza o tratamento à uma pessoa trans, além de colaborar para um atendimento de qualidade. Larrat conta que já passou por diversas dificuldades ao alterar o seu nome nos bancos, pois o atendimento chegava a ser falho e isso a prejudicava no dia a dia.

“Quando ia receber uma transferência, por exemplo, a pessoa desconfiava se era eu mesma, pois no recibo ainda aparecia o nome não retificado”, informou.

Para alterar o nome social é preciso entrar em contato com a agência bancária de preferência, mostrando a documentação da retificação do nome civil.

Veja Também