Tecovirimat: remédio contra varíola dos macacos anunciado pelo MS nunca teve eficácia testada em humanos

O nome comercial do medicamento é Tpoxx, com princípio ativo tecovirimat. O antiviral foi desenvolvido, mas que nunca teve a eficácia testada em humanos, já que o vírus da varíola não circula mais há décadas.

Postado em: 01-08-2022 às 15h43
Por: Ícaro Gonçalves
O nome comercial do medicamento é Tpoxx, com princípio ativo tecovirimat. O antiviral foi desenvolvido, mas que nunca teve a eficácia testada em humanos, já que o vírus da varíola não circula mais há décadas | Foto: Reprodução

Após o anúncio da primeira morte causada pela varíola dos macacos no Brasil, o ministério da Saúde informou que o país vai comprar um medicamento que pode ser usado em pacientes com risco de evoluir para quadros graves.

O nome comercial do medicamento é Tpoxx, com princípio ativo tecovirimat. O antiviral foi desenvolvido, mas que nunca teve a eficácia testada em humanos, já que o vírus da varíola não circula mais há décadas. O produto já foi aprovado pela FDA (Administração de Medicamentos e Alimentos) nos Estados Unidos em 2018 para tratamento de varíola humana.

Leia também: Ministro da Saúde anuncia antiviral para tratar varíola dos macacos

Continua após a publicidade

“A eficácia do Tpoxx contra a varíola foi estabelecida por estudos realizados em animais infectados com vírus que estão intimamente relacionados com o vírus que causa a varíola e baseou-se na medição da sobrevivência no fim dos estudos. Mais animais tratados com Tpoxx sobreviveram em comparação com os animais tratados com placebo”, diz a FDA em nota.

Os testes que envolveram humanos foram apenas para atestar a segurança. Ao todo, 359 voluntários saudáveis, sem infecção por varíola, participaram do estudo.

Maior segurança

Segundo a FDA, o uso do tecovirimat pode encurtar a duração da doença e a disseminação viral. Assim como as vacinas contra o vírus monkeypox, o antiviral será adquirido pelo Brasil por meio da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde).

No entanto, ainda não foi informada a data em que os medicamentos chegarão ao país.

Veja Também