Mulheres em situação de vulnerabilidade, migrantes e trans recebem capacitação gratuita

Postado em: 07-07-2021 às 16h45
Por: Carlos Nathan Sampaio
Ação é realizada pelo Clube de Costura, projeto institucional do Mega Moda Shopping, em parceria com o Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO) e da Justiça do Trabalho, com apoio da Organização Internacional do Trabalho e do Senai | Foto: divulgação

O Clube de Costura, projeto institucional do Mega Moda Shopping, em parceria com o Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO) e da Justiça do Trabalho, com apoio da Organização Internacional do Trabalho e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), realiza até esta sexta-feira (09/07), o projeto social “Costurando Pontes”.

Com objetivo de capacitar mulheres em situação de vulnerabilidade, mulheres migrantes e trans junto ao projeto coordenado pelo MPT-GO de empregabilidade “Mais Um Sem Dor”, o projeto, durante toda a semana, reuniu as participantes para ensinar técnicas básicas de Modelagem, Corte e Costura no Clube de Costura, localizado na Região da 44, importante polo de moda do país.

“Para o Clube de Costura, ser parceiro desse projeto, é muito gratificante. Acreditamos na formação para o mercado da moda e entendemos a importância de auxiliar a preparação de mulheres em situação de vulnerabilidade, mulheres migrantes e trans a conquistarem seu espaço no mercado formal de trabalho”, afirma Carlos Luciano Martins Ribeiro, Presidente do Grupo Mega Moda.

No fim da tarde desta sexta-feira, as participantes receberão o certificado do Clube de Costura, que disponibilizou o espaço, a realização das aulas, o fornecimento dos materiais e o deslocamento das alunas, e apresentarão as peças produzidas por elas.

Projeto

Desde o seu início, em outubro de 2018, já passaram pelo projeto “Mais Um Sem Dor” cerca de 415 pessoas, selecionadas entre os seguintes grupos: mulheres vítimas de violência doméstica; trans; travestis; mulheres que cumprem pena em regime fechado; pessoas em situação de rua; mulheres migrantes, refugiadas; e mulheres negras. Essa ação visa promover a formação humanística, qualificação profissional e encaminhamento de pessoas em situação de vulnerabilidade ao mercado formal de trabalho, apoiando a inclusão e aumentando as oportunidades para melhoria das condições de vida.

Compartilhe: