Brasileiros vivem momentos de tensão em Bruxelas

Postado em: 23-03-2016 às 07h45
Por: Redação
Atentados terroristas deixaram pelo menos 34 pessoas mortas e 187 feridas ontem (22) na capital belga

Jéssica Chiareli 

Na tarde de ontem (22), o
estudante de intercâmbio Vitor Grossi, 21, aguardava a chegada dos pais em
Bruxelas quando viu dois carros do corpo de bombeiros passando em alta velocidade.
Apesar de não ter escutado ruídos, um ataque
suicida deixou pelo menos 15 pessoas mortas e 55 feridos na estação de
metrô de Maelbeek, a menos de um quilômetro de onde o
estudante estava.

O atentado
foi o segundo do dia em Bruxelas. Às 8h do horário local, outra explosão deixou
pelo menos 11 mortos e 81 feridos no aeroporto Zaventem. Os ataques
criaram um clima de medo e fizeram estações de ônibus, comércios e até escolas
fecharem as portas. “Aqui em Bruxelas está um clima estranho,
pesado. Todos estão com medo”, conta Vitor.

Os pais do
estudante, que estavam em um voo internacional rumo à cidade do filho, tiveram
que desembarcar no aeroporto de Paris. “Meus pais estão vindo para cá, pousaram
em Paris e iriam vir para Bruxelas de trem, mas as estações estão fechadas. Não
fecharam as fronteiras, mas as viagens de trem foram canceladas”, disse.

Ildo
Aparecido da Silva, 49, trabalhava em uma região distante do aeroporto e da
estação atacada e soube do ocorrido depois que um amigo, que também mora na
cidade, enviou uma mensagem. Silva conta que o hospital Saint Pierre,
localizado próximo da sua residência, suspendeu os atendimentos para cuidar
exclusivamente das vítimas do atentado. “Moro em Bruxelas há 12 anos e nunca
tinha visto nada assim”, desabafou.

Represália

A autoria dos dois
atentados foi reivindicada pelo Estado Islâmico (EI). Em um comunicado, o grupo
radical afirmou que fará “ataques mais duros e mais amargos” aos países
que combatem os jihadistas. A declaração
confirma as suspeitas de que os atentados de ontem foram uma represália pela captura
de Alah Abdeslam. Abdeslam, preso em Bruxelas na última sexta-feira (18), é um
dos principais suspeitos de participar dos ataques terroristas ocorridos em
Paris, em novembro de 2015.

No comunicado, o EI informou ainda detalhes dos ataques na
Bélgica. Os terroristas usaram cintos explosivos, bombas e espingardas
metralhadoras no Aeroporto de Zaventem e na estação de metrô.  De acordo com o grupo, o armamento foi cuidadosamente
escolhido para matar o maior número de pessoas. No final da declaração, o
Estado Islâmico ainda acrescentou a promessa de “dias mais sombrios”. 

Compartilhe: