Unicef: 50 mil crianças são deslocadas no mundo

Segundo relatório da entidade, menores enfrentam perigo quando fogem de conflitos e da violência

Postado em: 09-09-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Segundo relatório da entidade, menores enfrentam perigo quando fogem de conflitos e da violência

Relatório divulgado nesta semana pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), intitulado Uprooted – the growing crisis for refugee and migrant children (Desenraizadas – a crescente crise das crianças refugiadas e migrantes, em tradução livre), revela que os menores representam uma percentagem desproporcional e crescente de pessoas que buscam refúgio fora dos seus países de nascimento: são um terço da população mundial, mas representam metade de todos os refugiados.
As crianças que fogem dos conflitos e da violência, enfrentam novos perigos ao longo do caminho, incluindo o risco de afogamento em travessias marítimas, desnutrição e desidratação, tráfico, sequestro, estupro e até assassinato. Nos países que atravessam, enfrentam ainda a xenofobia e a discriminação.
No próximo dia 19, uma reunião da Assembleia Geral da ONU sobre “Resposta aos Grandes Movimentos de Refugiados e Imigrantes”, discutirá, em Nova Iorque, o deslocamento massivo dessas pessoas para consolidar melhoramentos nos mecanismos de proteção daqueles que foram forçados a se deslocar ou que estão em deslocamento contínuo, segundo a Agência da ONU para Refugiados (Acnur).
Milhares de refugiados aguardam do lado grego da fronteira com a Macedônia, que no domingo anunciou o bloqueio de suas fronteiras para refugiados afegãos
Melissa Fleming, porta-voz da Acnur, disse, em Genebra, que é muito significativo que 193 estados-membros das Nações Unidas se reúnam para chegar a um consenso sobre qual caminho seguir para conseguir administrar os desafios juntos e da melhor forma. As decisões tomadas na Assembleia ficarão conhecidas como a Declaração de Nova York e servirão como base para futuros acordos.
Na Declaração, os Estados irão declaram sua solidariedade pelas pessoas que foram forçadas a fugir de suas casas, reafirmarão suas obrigações em respeitar de forma plena os direitos humanos dos refugiados e migrantes e se comprometerão a apoiar de forma substancial aqueles países fortemente afetados por movimentações massivas de refugiados e migrantes.

Desenraizados
Em 2015, cerca de 45% de todas as crianças refugiadas sob a proteção da Acnur era proveniente da Síria e do Afeganistão. Aproximadamente 28 milhões de crianças foram expulsas de suas casas pela violência e pelos conflitos dentro e fora das fronteiras, incluindo 10 milhões de crianças refugiadas; um milhão de requerentes de asilo cujos estatutos de refugiados ainda não foi determinada; e uma estimativa de 17 milhões de crianças deslocadas dentro de seus próprios países.

Veja Também