Goiano, militar do Exército Americano que serviu no Afeganistão prevê possível retorno da Al-Qaeda

Postado em: 03-09-2021 às 15h12
Por: Almeida Mariano
Com experiência em ações de guerra no Oriente Médio, sargento explica a situação atual crise afegã | Foto: Reprodução

Acompanhando os acontecimentos recentes da crise no Oriente Médio, o goiano sargento do Exército Americano, Antônio Caiado, informou que apesar da unidade para tomar o poder, o Talibã agora irá passar por uma etapa de conflitos internos entre seus integrantes. E a falta de consenso entre membros do Talibã deve estimular o renascimento de subgrupos, dando espaço para outras organizações ainda mais radicais.

“Precisamos observar a forma que o Talibã chegou ao poder. Eles foram conquistando o país por região, com grupos ramificados entre as províncias… Nas regiões leste, sul e sudeste você tem grupos mais radicais do que o Talibã que está em Cabul. Esses grupos não irão aceitar um Talibã flexível”, afirma o sargento.

Assim, essa nova fase pode fazer com que a crise o Oriente Médio enfrenta atualmente, volte a atingir os países do Ocidente, e com o provável risco do ressurgimento da Al-Qaeda e retomada de atividades de destruição e terrorismo direcionadas às nações ocidentais.

“É algo que vendo e convivendo no Afeganistão, a divisão interna é nítida. Isso será o maior desestabilizador do Talibã. Têm várias outras milícias que vão se fortalecer diante desse novo cenário. Grupos minoritários ainda mais radicais que irão se empoderar. Talvez você tenha o renascimento da Al-Qaeda, um grupo que será treinado com ideais de destruição dos países do Ocidente”, pontua Antônio.

O sargento Antônio Caiado, 38, nasceu em Mossâmedes, Goiás, e se mudou para os Estados Unidos em 2005, onde conseguiu cidadania e se tornou militar do US Army, o Exército Americano. Antônio é primeiro sargento que mesmo estando na reserva, ainda é convocada para missões, tendo inclusive sido enviado recentemente para a Síria.

Compartilhe: