Príncipe Andrew recebe intimação sobre suposto abuso sexual de menor de idade

Herdeiro é acusado de abusar sexualmente de Virginia Roberts Giuffre que, na época, tinha 17 anos de idade

Postado em: 22-09-2021 às 17h06
Por: Maria Paula Borges
Herdeiro é acusado de abusar sexualmente de Virginia Roberts Giuffre que, na época, tinha 17 anos de idade | Foto: Reprodução

O príncipe Andrew recebeu uma intimação sobre o caso de suposto abuso sexual que teria cometido contra a norte-americana Virginia Roberts Giuffre. Segundo relatórios do tribunal, processo chegou ao herdeiro da realeza britânica por meio do advogado da família real com base nos Estados Unidos e por e-mail.

Andrew é o segundo filho mais velho da rainha Elizabeth II e irmão do Príncipe Charles. A defesa do príncipe disse anteriormente que ele não havia sido devidamente notificado sobre o processo, apesar da equipe jurídica de Virginia dizer que os papéis foram entregues na casa dele em Windsor, na Inglaterra.

Acessados pela CNN Internacional, os documentos judiciais dos Estados Unidos, mostram que os papéis legais foram entregues a Andrew B. Brettler, advogado do duque, no escritório de advocacia Lavely and Singer, na manhã da última segunda-feira (20/09). Além disso, o documento mostra que a correspondência legal foi entregue ao Royal Courts of Justice, em Londres, no mesmo dia.

Continua após a publicidade

Virginia relata que os crimes aconteceram em Londres, Nova York e nas Ilhas Virgens Americanas. De acordo com ela, o herdeiro sabia que ela tinha apenas 17 anos na primeira vez e contou que havia sido traficada pelo criminoso sexual, já falecido, Jeffrey Epstein.

A defesa norte-americana diz que o príncipe cometeu o crime na casa da britânica Ghislaine Maxwell, ex-namorada de Jeffrey, acusado de comandar uma rede de tráfico sexual. Entretanto, Andrew negou as alegações, afirmando à BBC em 2019 que pode dizer com certeza que nada aconteceu. “Não aconteceu. Posso dizer com toda a certeza que nunca aconteceu. Não me lembro de alguma vez ter conhecido essa senhora, absolutamente nenhuma”, disse.

O advogado da realeza britânica chamou o caso de algo “sem fundamento, inviável e potencialmente ilegal”. Segundo os advogados, um acordo de 2009 entre Virginia e Epstein libera o duque da responsabilidade, embora o acordo tenha sido e permaneça selado.

O juiz distrital Lewis Kaplan dos Estados Unidos, na semana passada, aprovou um pedido da equipe jurídica da norte-americana para buscar meios alternativos de atender a uma ação judicial contra o britânico. Kaplan, na noite da última quinta-feira (16/09), disse que o serviço do advogado de Andrew nos EUA é calculado para trazer papéis servidos à atenção do réu. “O serviço do advogado do réu nos Estados Unidos é razoavelmente calculado para trazer os papéis servidos à atenção do réu, independentemente de seu advogado nos EUA estar ‘autorizado’ a aceitar serviço em seu nome”.

Segundo um dos advogados de Virginia, David Boies, disse à CNN Internacional que está satisfeito. “Estamos satisfeitos que a questão do serviço tenha ficado para trás e que possamos prosseguir para uma resolução das reivindicações da Sra. Giuffre”, afirma.

Veja Também