Senador americano afirma que 40 mil brasileiros atravessaram a fronteira dos EUA ilegalmente

Postado em: 14-10-2021 às 17h18
Por: Maria Paula Borges
Segundo Lindsey Graham, os viajantes usavam roupa de grife e bolsas da Gucci. Entretanto, não apresentou evidências da afirmação | Foto: Reprodução

Durante entrevista à Fox News, o senador Lindsey Graham, do Partido Republicano dos Estados Unidos, afirmou, na última quarta-feira (13/10), que 40 mil brasileiros cruzaram a fronteira entre os Estados Unidos (EUA) e o México ilegalmente “usando roupas de grife e bolsas da Gucci”. O senador, que faz parte do partido de oposições ao presidente norte-americano Joe Biden, não apresentou evidências da afirmação.

Graham havia visitado um ponto de controle de fronteira chamado Setor Yuma, no Arizona. O senador reclamava da política de Biden para imigração, dizendo que é muito permissiva. Além disso, ele afirmou que agora há mais incentivos para imigrantes entrarem nos EUA.

“As escolhas políticas de Biden estão pelo mundo. Nós tivemos 40 mil brasileiros só no posto de fronteira de Yuma, indo para [o estado de] Connecticut usando roupas de marcas e bolsas da Gucci. Isso não é mais imigração econômica. As pessoas veem que os Estados Unidos estão abertos e tiram vantagem de nós, e não vai demorar muito para que um terrorista se misture a essa multidão”, disse.

Em conversa com o jornal Washington Post, um assessor de Lindsey afirmou que na viagem do senador ao Arizona, ele viu bagagens que seriam mais sofisticadas que a dele próprio. Entretanto, o jornal afirma que, nas fotos mostradas, não é possível identificar ninguém usando roupa de grife ou bolsas da Gucci.

Durante a viagem, um agente da patrulha afirmou ao senador que havia 3.400 imigrantes detidos no ponto de controle de Yuma, sendo a maioria vindos do Brasil, Venezuela e Cuba. Segundo o Washington Post, o número de brasileiros detidos na fronteira aumentou nos últimos 12 meses, sendo mais de 46 mil. Em 2019, cerca de 18 mil brasileiros foram detidos. No levantamento de detidos pelos agentes da fronteira, os brasileiros são os sextos mais numerosos.

Compartilhe: