Farmacêutica Pfizer aponta 90% de eficácia em pílulas contra Covid-19 em análise final

Postado em: 14-12-2021 às 11h48
Por: Victoria Lacerda
Se for autorizado, o tratamento será vendido com o nome de Paxlovid. | Foto: Reprodução/Internet

Na manhã desta terça-feira (14/12), a farmacêutica norte-americana Pfizer anunciou uma análise final de seu antiviral contra Covid-19 em comprimido, mostrando quase 90% de eficácia na prevenção de internações e morte de pacientes com complicações de alto risco. Os dados divulgados também levam a acreditar que as pílulas são eficazes contra a nova variante Ômicron. 

Foi mostrado  no estudo que ninguém que recebeu o tratamento da Pfizer morreu, já em comparação às pessoas que receberam o placebo, 12 pacientes vieram a óbito. Os testes iniciais foram feitos com cerca de 1.200 pessoas. Mais 1 mil voluntários foram incluídos nessa segunda análise.

Também foram divulgados os dados iniciais de um segundo teste clínico que mostraram que o tratamento diminuiu as hospitalizações em cerca de 70% em aproximadamente 600 adultos de risco convencional.

O remédio deve ser tomado com o antiviral mais antigo ritonavir a cada 12 horas durante um total de cinco dias, começando logo após o surgimento dos sintomas da Covid-19. Se for autorizado, o tratamento será vendido com o nome de Paxlovid.

“Estamos falando de um número impressionante de vidas salvas e internações evitadas. E, é claro, se o utilizarmos rapidamente depois da infecção teremos a probabilidade de reduzir drasticamente as contaminações”, disse o diretor científico da Pfizer, Mikael Dolsten.

*Com informações da Folha de São Paulo 

Compartilhe: