Cantora tcheca anti-vacinação morre após se contaminar de propósito com o coronavírus

Postado em: 20-01-2022 às 09h42
Por: Ícaro Gonçalves
Hanka Horka decidiu não se vacinar e preferiu se contaminar para obter o passaporte de vacinação | Foto: Reprodução

Uma cantora de 57 anos da República Tcheca faleceu no começo desta semana por complicações da covid-19, após se deixar contaminar pelo vírus propositalmente. Hanka Horka, do grupo tcheco Asonance, era contra as vacinas, e queria se contaminar para obter o passaporte de vacinação. No país o passaporte vacinal é concedido para pessoas com esquema vacinal completo, mas também para aquelas que já recuperarem da covid-19.

Ela faleceu no último domingo (16/1), conforme informações do portal CNN. Em entrevista a uma rádio pública tcheca, o filho da cantora, chamado Jan Rek, disse que ele e seu pai já estavam completamente vacinados contra o coronavírus quando foram contaminados no fim do ano passado.

“Ao invés de se isolar de nós dois, ela quis ficar em casa normalmente e decidiu que preferia pegar a doença do que se vacinar. Seu primeiro teste PCR deu negativo, mas dias depois o segundo apresentou resultado positivo”, disse Rek à rádio. “Ela confiou mais em estranhos do que na própria família”.

Já na sexta (14), quando Horka já havia se contaminado, ela escreveu de forma animada nas redes sociais sobre sua situação. “Estou contaminada com a variante Delta, mas está tudo ótimo. Terei vida social, com teatro, sauna, cinema e praia”.

No domingo (16), ela começou a se sentir mal e saiu de casa para uma caminhada. Ao retornar, ela reclamou de uma forte dor nas costas e decidiu se deitar. “Ela morreu por asfixia em sua cama poucos minutos depois”, descreve Rek.

O filho da cantora culpa movimentos e personalidades antivacina do país pela morte de sua mãe, dizendo que “sabe exatamente quem estava por trás da ideia”.

Compartilhe: