“Guerra prematura e que trará uma perda catastrófica”, diz Biden após invasão à Ucrânia

O comunicado emitido pela Casa Branca, Biden ainda afirmou se reunirá com membros do G7 e da Otan para responder aos ataques russos.

Postado em: 24-02-2022 às 09h08
Por: Ícaro Gonçalves
O comunicado emitido pela Casa Branca, Biden ainda afirmou se reunirá com membros do G7 e da Otan para responder aos ataques russos | Foto: Reprodução

Na manhã desta quinta-feira (24/2), o presidente dos EUA, Joe Biden, condenou o início da invasão do exército russo à Ucrânia, o que chamou de “ação não provocada e injustificada”. No comunicado emitido pela Casa Branca, Biden ainda afirmou que Vladimir Putin escolheu uma “guerra premeditada” e “que trará uma perda catastrófica”.

Leia também: Invasão e bombardeios na Ucrânia já deixaram ao menos 58 mortos dos dois lados; acompanhe

“As orações de todo o mundo estão com o povo da Ucrânia esta noite, que sofre um ataque não provocado e injustificado das forças militares russas. A Rússia sozinha é responsável pela morte e destruição que este ataque trará, e os Estados Unidos e seus aliados e parceiros responderão de forma unida e decisiva. O mundo responsabilizará a Rússia”, afirmou o presidente norte-americano em comunicado.

Continua após a publicidade

“Me encontrarei com meus colegas do G7 pela manhã e depois falarei com o povo americano para anunciar as consequências futuras. Também coordenaremos com os nossos aliados da Otan para garantir uma resposta forte e unida que impeça qualquer agressão contra a Aliança. Esta noite, Jill e eu estamos orando pelo corajoso e orgulhoso povo da Ucrânia”, completou Biden.

Início da invasão

O presidente russo, Vladimir Putin, autorizou na noite de ontem (23) aquilo que definiu como “operação militar especial” da Rússia no leste da Ucrânia e mandou recado para aqueles que tentarem intervir.

“Tomei a decisão de conduzir uma operação militar especial. Nossa análise concluiu que nosso confronto com essas forças [ucranianas] é inevitável (…) Algumas palavras para aqueles que seriam tentados a intervir: a Rússia responderá imediatamente e você terá consequências que nunca teve antes em sua história”, afirmou Putin, ao anunciar a operação militar na Ucrânia.

Veja Também