Taiwan coloca mísseis em estado de alerta após aeronaves chinesas sobrevoarem o território

Governo chines reivindica uma soberania sobre a ilha, que observa a situação na Ucrânia com cautela

Postado em: 24-02-2022 às 15h35
Por: Augusto Sobrinho
Governo chines reivindica uma soberania sobre a ilha, que observa a situação na Ucrânia com cautela | Foto: Reprodução

Após a invasão da Rússia ao território ucraniano durante a madrugada, desta quinta-feira (24/032), o Ministério da Defesa de Taiwan identificou durante à tarde nove aeronaves chinesas dentro da zona de defesa aérea (ADIZ) do país. O governo chines reivindica uma soberania sobre a ilha e afirmou que algum dia vai retomar este território, inclusive, usando a força se necessário.

De acordo com o alerta da Força Aérea de Taiwan, as aeronaves eram caças chineses J-16 e um avião de reconhecimento Y-8, que sobrevoaram uma área a nordeste das Ilhas Pratas. O governo taiwanês reclama, há dois anos, missões regulares da força aérea chinesa, mesmo as aeronaves não se aproximando de Taiwan.

A porta-voz do ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, chamou as autoridades taiwanesas de “imprudentes” devido à cautela com a crise na Ucrânia. “Taiwan sempre foi uma parte inalienável do território chinês. Este é um fato irrefutável do ponto de vista legal e histórico”, afirmou.

Continua após a publicidade

Com medo de movimentações do governo chinês, Taiwan tem observado a situação entre Ucrânia e Rússia com cautela. Os taiwaneses colocaram as forças de patrulha aérea para expulsar os aviões chineses e monitorar a situação. Mísseis de ataque terra-ar também foram colocados em estado de alerta para prevenção.

Veja Também