Mais de 2 mil civis foram mortos em menos de uma semana do conflito entre Rússia e Ucrânia

A Organização das Nações Unidas (ONU) relatou que mais de 836 mil pessoas já cruzaram a fronteira da Ucrânia em busca de fugir da guerra

Postado em: 02-03-2022 às 13h46
Por: Alexandre Paes
A Organização das Nações Unidas (ONU) relatou que mais de 836 mil pessoas já cruzaram a fronteira da Ucrânia em busca de fugir da guerra | Foto: Reprodução/Getty Images

Desde o início da invasão russa à Ucrânia, mais de 2 mil civis morreram e centenas de estruturas, como instalações de transporte, hospitais, jardins de infância e prédios residenciais foram destruídos. As informações foram relatadas pelo serviço de emergência ucraniano nesta quarta-feira (2/3). 

“Durante os sete dias da guerra, a Rússia destruiu centenas de infraestruturas de transporte, casas, hospitais e creches. Neste tempo, mais de 2.000 ucranianos morreram. Crianças, mulheres e nossos defensores estão perdendo suas vidas a cada hora”, disse a entidade em publicação nas redes sociais.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), além do grande número de mortos, cerca de 836 mil pessoas deixaram a Ucrânia desde o início do conflito, em 24 de fevereiro. Destas, mais da metade seguiu em direção à Polônia e outros 116 mil atravessaram a fronteira em direção à Hungria.

Continua após a publicidade

A agência para refugiados da ONU estima que até 5 milhões de ucranianos serão deslocados ao longo do conflito. Espera-se que 3 milhões de pessoas cheguem só na Polônia, que faz parte da Otan, a principal aliança militar ocidental, e está mantendo as fronteiras abertas.

A Rússia anunciou a tomada da cidade portuária de Kherson, cercada ao longo de toda a terça-feira (1°/3). Em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, a ofensiva continua de pé, e ao menos quatro pessoas morreram e outras nove ficaram feridas em conflitos decorrentes na região. 

Na última segunda-feira (28/2), delegações russas e ucranianas se encontraram, em uma reunião que durou cerca de cinco horas, mas não houve resultados significativos.

Veja Também