XE, XF e XD: novas variantes mais transmissíveis preocupam autoridades do Reino Unido

Postado em: 30-03-2022 às 17h31
Por: Augusto Sobrinho
A combinação entre BA.1 e 2 | Foto: Reprodução

A Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (UKHSA, na sigla em inglês) notificou, até a última segunda-feira (28/03), mais de 600 casos de uma nova variante do coronavírus. A XE, como foi batizada, é a combinação entre a BA.1 e 2 e, aparentemente, é 9,8% mais transmissível do que as anteriores.


O primeiro caso relacionado à nova cepa foi identificado no dia 19 de janeiro deste ano e, com o aumento de casos, ela está sendo apontada como responsável pela nova onda de casos de COVID-19 na Europa e na Ásia. Entretanto, ainda não há indicações científicas sobre a letalidade desta variante.


“Uma variante recombinante ocorre quando um indivíduo é infectado com duas ou mais variantes ao mesmo tempo. Elas não são incomuns, principalmente quando existem várias variantes em circulação. Tal como acontece com outros tipos, a maioria morrerá relativamente rápido”, afirmou Susan Hopkins, médica-chefe da UKHSA.


Além da XE, o Reino Unido monitora outras duas novas cepas: a XF e XD, que são recombinações das variantes delta e ômicron. Mas, atualmente, a BA.2 com ômicron é a principal preocupação dos órgãos ingleses, pois ela corresponde a 93,7% dos casos nas últimas semanas.

Compartilhe: