Em documentário, apresentador de TV francesa é acusado de abusos sexuais contra 20 mulheres

Postado em: 13-05-2022 às 19h01
Por: Ícaro Gonçalves
Patrick Poivre d’Arvor, de 74 anos, é uma das figuras mais famosas da TV francesa e está sendo acusado de agressão sexual por 20 mulheres, com idades entre 28 e 63 anos | Foto: Reprodução

Recentemente, o falecido apresentador britânico Jimmy Savile, famoso durante a década de 1960, se tornou alvo de um documentário da Netflix onde é acusado de por mais de 500 pessoas de ter cometido crimes sexuais, inclusive contra crianças. As denúncias chocaram o mundo, e mostraram um lado bárbaro de Savile.

Já nesta semana, um novo caso com diversas denúncias sobre abusos cometidos por um “figurão” da TV surgiu na França. Patrick Poivre d’Arvor, de 74 anos, é uma das figuras mais famosas da TV francesa e está sendo acusado de agressão sexual por 20 mulheres, com idades entre 28 e 63 anos.

A história foi contada em um documentário do site investigativo Mediapart, que reuniu 16 mulheres que denunciaram publicamente os abusos sofridos por d’Arvor e outras que falaram sob anonimato. A France Télévision afastou o jornalista da série de documentários que vinha apresentando.

Segundo as denunciantes, os abusos sexuais teriam acontecido em sua própria sala de trabalho na emissora de TV TF1, onde ficou de 1987 a 2008, até os escândalos começarem a aparecer. Antes, tinha sido apresentador do Antenne 2 entre 1976 a 1983.

O jornalista, conhecido como PPDA, já tinha sido investigado por uma denúncia de estupro no ano passado, mas o caso foi arquivado.

Denúncias

Até pouco tempo, Patrick d’Arvor estava apresentando uma série de documentários de arte na France Télévisions, que resolveu substituí-lo nos próximos episódios depois de pressões de organizações como o grupo de mulheres jornalistas

Alguns dos casos denunciados sobre d’Arvor aconteceram na década de 1980, e prescreveram. Mas são suficientes para manchar a imagem do jornalista e para motivar outras mulheres que também se dizem vítimas. 

A primeira a acusar o jornalista de TV de abuso sexual foi a escritora e jornalista Florence Porcel, 38 anos, que em fevereiro de 2021 formalizou queixa por estupros acontecidos em 2004 e 2009. 

O caso foi arquivado quatro meses depois porque o juiz considerou que não havia provas suficientes para investigar d’Arvor. E também pelo prazo de prescrição. Mas a repercussão na mídia francesa sobre as acusações fez com que outras 22 mulheres procurassem a polícia para denunciar o jornalista.

Segundo a mídia local, 17 registraram queixas, sendo 8 novas acusações de estupro — nenhuma foi investigada por terem ultrapassado o prazo legal de acionar a justiça. Outros três casos são investigados.

No especial do Mediapart, “PPDA: 30 Anos de Silêncio”, 20 dessas mulheres detalharam os crimes de PPDA. Muitas não se conheciam e falaram abertamente sobre as violências sofridas pela primeira vez.

Com informações do portal MediaTalks

Compartilhe: