10% dos casos de câncer na Europa estão ligados a poluição

Para a instituição, o número pode diminuir de forma drástica se as políticas existentes fossem realizadas de forma mais rigorosa

Postado em: 28-06-2022 às 11h24
Por: Mariana Fernandes
Para a instituição, o número pode diminuir de forma drástica se as políticas existentes fossem realizadas de forma mais rigorosa | Foto: Reprodução

De acordo com informações da Agência Europeia do Ambiente (AEA), publicada nesta segunda-feira (27), relata que cerca de 10% dos casos de câncer na Europa estão ligados à poluição e, em sua maioria, poderiam ser evitáveis na maioria dos casos.

Para a instituição, o número pode diminuir de forma drástica se as políticas existentes fossem realizadas de forma mais rigorosa, especialmente ao se tratar de poluição. 

“A exposição à poluição do ar, ao tabagismo passivo, aos raios ultravioletas, ao amianto, a alguns produtos químicos e a outros poluentes está na origem de mais de 10% dos cânceres na região. Todos os riscos cancerígenos ambientais e profissionais podem ser reduzidos”, afirmou Gerardo Sanchez, perito da AEA, sobre o documento comunicado.

Continua após a publicidade

Os dados também mostram que a poluição do ar é responsável por um por cento dos casos e que dois por cento das mortes, em um índice pode subir para  9% se tratada como câncer de pulmão. 

A exposição a longo prazo às partículas, com um poluente atmosférico e leucemia entre crianças e adultos possuem correlação. Outras substâncias utilizadas na alimentação, como Chumbo, arsénico, crómio, pesticidas e bisfenol A, estão entre as mais perigosas para a saúde dos europeus e algumas chegam a ser proibidas pela União Europeia (UE).

Substâncias químicas utilizadas em locais fechados, como o ambiente de trabalho, e que acabam sendo liberadas no ar, também são cancerígenas.

Na União Europeia, 2,7 milhões de pessoas são diagnosticadas com câncer a cada ano e 1,3 milhão morrem em decorrência dele. O continente, que representa apenas 10% da população mundial, concentra 23% dos novos casos e 20% das mortes.

Veja Também