Atirador que matou 7 pessoas nos EUA planejou segundo ataque no mesmo dia

O acusado do ataque a tiros contra uma multidão durante as celebrações do dia da independência dos EUA e matar sete pessoas

Postado em: 06-07-2022 às 15h17
Por: Luan Monteiro
Robert E. Crimo 3º admitiu ter disparado contra multidão em cidade próxima a Chicago. | Foto: Reprodução

O acusado do ataque a tiros contra uma multidão durante as celebrações do dia da independência dos EUA e matar sete pessoas planejou cometer um segundo ataque no mesmo dia, disse o porta-voz da polícia local Christopher Covelli nesta quarta (6/7).

Robert E. Crimo 3º, de 22 anos, planejava, ainda na segunda (4), um tiroteio na cidade de Madison, capital do estado de Wisconsin, que faz fronteira com Illinois, onde o primeiro ataque foi realizado horas antes.

Ele foi preso e agora deve responder a sete acusações de assassinato em primeiro grau. Ele teve a fiança negada em uma audiência nesta quarta, da qual participou por videochamada. Crimo apenas confirmou que não tinha um advogado particular, de modo que um defensor público foi nomeado para o seu caso.

Continua após a publicidade

O promotor do caso, Ben Dillon, disse durante a sessão que Crimo confessou o ataque a Highland Park logo após ter sido detido pela polícia. Segundo autoridades locais, ele disparou mais de 70 vezes aleatoriamente contra a multidão e planejou o ataque por semanas.

O juiz Theodore Potkonjak disse que Crimo representa uma ameaça à comunidade e, por isso, deveria seguir preso. Caso condenado pelas sete acusações, ele deve receber sentença de prisão perpétua e sem possibilidade de liberdade condicional.

“Estas são apenas as primeiras de muitas acusações que serão feitas contra ele”, disse o promotor a repórteres pouco depois. “Prevemos dezenas de mais acusações centradas em cada uma das vítimas”.

A polícia afirmou que as vítimas por Crimo, que disparou de um telhado, variavam entre pessoas com mais de 80 anos a crianças de 8. Os seis que morreram ainda na segunda eram maiores de idade. A sétima pessoa morta, que faleceu na terça, não teve a identidade divulgada. Mais de 40 pessoas também ficaram feridas.

O atirador utilizou um rifle semiautomático, arma que foi encontrada no local, e portava outra semelhante no carro da mãe, que dirigia quando foi detido. O condado de Lake informou que ele comprou cinco armas de maneira legal.

O estado onde ele residia possui uma lei que exige a checagem de antecedentes dos compradores de armas de fogo, porém ele não poderia ter acesso a armas já que por duas vezes havia entrado no radar da polícia. Primeiro em abril de 2019, quando tentou suicídio, e, depois, em setembro do mesmo ano, quando supostamente ameaçou membros de sua família.

Veja Também