Quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

Biden considera ‘improvável’ que míssil contra Polônia tenha vindo da Rússia

A Polônia faz parte da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), e conforme as regras do tratado, um ataque a um país integrante é considerado ataque a todos os países do grupo

Postado em: 16-11-2022 às 08h20
Por: Ícaro Gonçalves
A Polônia faz parte da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), e conforme as regras do tratado, um ataque a um país integrante é considerado ataque a todos os países do grupo | Foto:

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse na terça-feira (15/11) considerar improvável que o míssil que atingiu uma região de fronteira da Polônia tenha sido disparado pela Rússia. A Polônia faz fronteira com a Ucrânia, país atacado pelos exércitos russos desde fevereiro de 2022.

O míssil atingiu a cidade polonesa de Prezewodóv, que fica a seis quilômetros da fronteira com o território ucraniano, e fez pelo menos duas vítimas fatais. A Polônia faz parte da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), e conforme as regras do tratado, um ataque a um país integrante é considerado ataque a todos os países do grupo.

“É improvável que (…) o míssil tenha sido disparado da Rússia”, dada a sua trajetória, afirmou Biden à imprensa na ilha indonésia de Bali, onde os líderes do G20 realizam uma cúpula. “Vou garantir que descobriremos exatamente o que aconteceu”, acrescentou.

Continua após a publicidade

Leia também: Como funcionam os ‘drones suicidas’ utilizados pela Rússia na guerra contra a Ucrânia?

Danos com as explosões

As explosões foram registradas na terça-feira, quando bombeiros na Polônia foram acionados para socorrer vítimas da explosão em Przewodow. Além das mortes na Polônia, os ataques também afetaram a Moldávia, que sofre com falta de luz após destruição de plantas de energia elétrica.

Em publicação feita nas redes sociais, o porta-voz do governo polonês, Piotr Muller, informou que uma reunião de urgência de assuntos referentes à Defesa Nacional foi convocada pelo primeiro-ministro do país na tarde de hoje.

Veja Também