Quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

Nasa lança seu “mais poderoso foguete” para a Lua

A missão sem tripulação é realizada pelo programa Artemis da Agência Espacial dos EUA

Postado em: 16-11-2022 às 09h03
Por: Mariana Fernandes
O pouso no Oceano Pacífico está previsto para 11 de dezembro | Foto: Reprodução/ Getty Images North America

O foguete SLS (Space Launch System) da Nasa, o mais potente do mundo, decolou nesta quarta-feira (16), da Flórida com destino à Lua, às 1h47min (3h47min de Brasília), do Centro Espacial Kennedy. A missão sem tripulação é realizada pelo programa Artemis da Agência Espacial dos Estados Unidos.

Após dois cancelamentos por problemas técnicos e após as passagens de dois furacões que adiaram o lançamento por várias semanas, a terceira tentativa teve sucesso. A missão Artemis 1 deve durar 25 dias, com várias etapas delicadas.

O voo de teste, que sobrevoará a Lua sem pousar em sua superfície, busca confirmar se o veículo é seguro para transportar uma futura tripulação. O lançamento representa um grande início do programa Artemis, que pretende levar a primeira mulher e a primeira pessoa negra à Lua.

Continua após a publicidade

O objetivo é estabelecer uma presença humana duradoura no local, como preparação para uma viagem à Marte. “Este foguete custou muito suor e lágrimas” declarou na terça-feira o diretor da Nasa, Bill Nelson. “Nos permitirá voar até a Lua e voltar durante décadas”, afirmou.

Missão

A primeira tentativa de decolagem, há alguns meses, foi cancelada no último momento por um sensor defeituoso, e a segunda por um vazamento de hidrogênio. Depois dos problemas técnicos, dois furacões — Ian e Nicole — provocaram o adiamento por várias semanas.

Nesta quarta-feira (16), imediatamente após o lançamento, as equipes do centro de controle de Houston (Texas) assumiram o controle. Após dois minutos, os dois propulsores brancos caíram no Atlântico.

Ao atravessar a atmosfera, a cápsula terá que suportar temperaturas que alcançam metade da temperatura da superfície do Sol. O pouso no Oceano Pacífico está previsto para 11 de dezembro.

Veja Também