Líderes das Coreias do Norte e do Sul plantam árvore em cerimônia

"Espero que como esta árvore, a nossa relação se mantenha sempre verde, inclusive no inverno", disse o líder norte-coreano, após o término da solenidade

Postado em: 27-04-2018 às 09h10
Por: Márcio Souza
"Espero que como esta árvore, a nossa relação se mantenha sempre verde, inclusive no inverno", disse o líder norte-coreano, após o término da solenidade

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente da
Coreia do Sul, Moon Jae-in, participaram nesta sexta-feira de uma simbólica
cerimônia para plantar uma árvore no marco da histórica cúpula que eles
realizam na fronteira entre os dois países.

Eles fertilizaram e regaram um pinheiro (considerado uma
espécie de árvore da sorte nos dois países) e inauguraram uma placa
comemorativa onde estava a assinatura dos dois líderes e na qual se lia:
“Estamos plantando paz e prosperidade”.

Continua após a publicidade

“Espero que como esta árvore, a nossa relação se
mantenha sempre verde, inclusive no inverno”, disse o líder norte-coreano,
após o término da cerimônia.

Como aconteceu em outros detalhes da cúpula, o ato foi
cuidadosamente coreografado e esteve carregado de simbolismo comum ou que fazem
referência aos personagens que desempenharam um papel histórico na aproximação
intercoreana.

Nesse sentido, o pinheiro germinado em 1953, ano em que o
cessar-fogo entre os dois países foi assinado, as pás utilizadas foram feitas
com madeira de uma árvore típica de Pyongyang e com o aço de Seul e a terra
para fertilizar a árvore era procedente dos vulcões Halla e Paektu, os picos
mais altos e venerados a cada lado da fronteira.

Além disso, a árvore foi plantada ao lado de uma estrada
usada pelo fundador do grupo Hyundai, Chung Ju-yung (norte-coreano de
nascimento), para visitar há vinte anos sua cidade natal e doar 1 mil cabeças
de gado à Coreia do Norte quando o país tentava superar a grave crise de fome
da década de 1990.

Após a cerimônia, os dois líderes deram uma pequena
caminhada por uma passarela que fica na fronteira entre os dois países e
sentaram-se para conversar durante vários minutos em um ambiente muito íntimo.

Considera-se também que a imagem de Kim e Moon caminhando
juntos sobre uma ponte tenha muita força dentro do imaginário coreano, onde a
cena pode ser interpretada como um momento de transição onde se deixa para trás
um passado marcado pela divisão e se avança para um futuro compartilhado.

 Com informações da Agência EFE.

Veja Também