Presidente da Bolívia usa redes sociais para criticar OEA

Ele disse que a OEA e Almagro atuam contra os processos de paz, integração e unidade da região e em favor daqueles que rejeitam a autonomia e a soberania de nações latino-americanas

Postado em: 01-05-2018 às 10h20
Por: Márcio Souza
Ele disse que a OEA e Almagro atuam contra os processos de paz, integração e unidade da região e em favor daqueles que rejeitam a autonomia e a soberania de nações latino-americanas

O presidente da Bolívia, Evo Morales, utilizou as redes
sociais para criticar a Organização dos Estados Americanos (OEA) e o atual
secretário-geral entidade, o uruguaio Luis Almagro. Na sua conta no Twitter,
Morales disse que a OEA e Almagro atuam contra os processos de paz, integração
e unidade da região e em favor daqueles que rejeitam a autonomia e a soberania
de nações latino-americanas.

“Denunciamos Almagro e OEA que converteram a
organização multilateral, que era destinada a promover a paz, a democracia e
instrumento de integração, como algo para facilitar o intervencionismo e golpe
yankee contra países soberanos e anti-imperialistas”, disse o boliviano
nas redes sociais.

Continua após a publicidade

A OEA foi fundada em 1948, com a assinatura, em Bogotá,
Colômbia. A Organização foi criada com o objetivo de manter a paz e
justiça,  promover solidariedade,
intensificar a colaboração entre os Estados-membros e defender a soberania, a
integridade territorial e a independência.

Com 35 integrantes (países) das Américas, a OEA constitui um
dos principais fóruns políticos, jurídicos e sociais do hemisfério. Com o
estatuto de observadores independentes, 69 países também fazem parte da
entidade, assim como a União Europeia.

Internamente, a OEA vive um momento de divisões intensas. O
grupo liderado pela Bolívia e Venezuela está de um lado, enquanto Brasil,
Argentina e Uruguai ocupam posição oposta. As divergências são geradas por
questões ideológicas e políticas. 

 Com informações da Agência Brasil. 

Veja Também