UE pede paciência com possível assinatura de acordo com Mercosul

Diplomata alemão reiterou que a UE "não vai perder a paciência" e que não estão dispostos a negociar "sob a pressão do tempo"

Postado em: 04-05-2018 às 17h50
Por: Victor Pimenta
Diplomata alemão reiterou que a UE "não vai perder a paciência" e que não estão dispostos a negociar "sob a pressão do tempo"

A União Europeia (UE) pediu “paciência” com a possível
assinatura de um acordo comercial com o Mercosul, que veem como um
“aliado” e com o qual buscam um acordo sólido que beneficie ambos os
blocos, segundo destacou nesta sexta-feira (4) seu embaixador em Montevidéu,
Karl-Otto König. As informações são da EFE.

“Vemos o Mercosul como um aliado e temos uma afinidade
superforte com a indústria europeia, mas, paciência. Se passaram 22 anos e não
há problema se passarem mais duas semanas”, declarou König à imprensa
uruguaia.

Continua após a publicidade

O diplomata alemão reiterou que a UE “não vai perder a
paciência” e que não estão dispostos a negociar “sob a pressão do
tempo”, já que, segundo ele, cada lado tem seus interesses, razão pela
qual reforçou que “algum dia” se concluirá o acordo.

“Pessoalmente estou otimista. Por que buscamos 18 países
nestes dias? Por que concluímos acordos com México, Equador, Peru, Colômbia,
Chile, Nova Zelândia, Japão, Austrália? Então eu acredito que também vamos
conseguir com o Mercosul”, garantiu.

Para König, é melhor ter “um tratado sólido” no
qual ambos vejam uma situação benéfica e ressaltou que a UE não quer criar
“dependências econômicas”.

No mês passado, os negociadores da UE e do Mercosul para o
acordo comercial concluíram seus contatos em Bruxelas sem conseguir avanços nas
conversas, em um encontro após o qual o bloco europeu advertiu que será
“difícil” avançar sem “nenhum movimento” do grupo
sul-americano.

Na reunião técnica foram abordados os assuntos nos quais
segue havendo diferenças entre as duas equipes e que ainda não puderam ser
resolvidas, principalmente o acesso aos mercados no setor automobilístico, um
assunto sobre o qual o Brasil mantém a posição mais afastada da comunidade.

As negociações para um acordo comercial entre a UE e o
Mercosul começaram em 1999, mas ficaram completamente paradas entre 2004 e 2010
e foram retomadas apenas em 2016.

O presidente Michel Temer afirmou hoje em São Paulo que o
Mercosul e a União Europeia “estão praticamente fechando” um acordo
comercial e ressaltou a vocação do país de combater o
“protecionismo”.

“É algo desejado e que, durante quase 20 anos, não se
conseguiu levar adiante. Recuperamos a vocação original do Mercosul para o
livre mercado”, declarou o presidente durante o fórum Riscos para os
Negócios Internacionais, na capital paulista.

Temer defendeu ainda a “conexão entre vários
blocos” e insistiu na importância de uma aliança entre o Mercosul, bloco
integrado também por Argentina, Uruguai e Paraguai, e a Aliança do Pacífico
(Chile, Colômbia, Peru e México).

 Fonte: Agência Brasil e Agência EFE.

Veja Também