Países boicotam inauguração de embaixada dos EUA em Jerusalém

Entre os 86 embaixadores e encarregados de negócios convidados para a cerimônia, 40 confirmaram presença, mas a maioria dos representantes dos países europeus não assistirão ao evento

Postado em: 13-05-2018 às 16h30
Por: Márcio Souza
Entre os 86 embaixadores e encarregados de negócios convidados para a cerimônia, 40 confirmaram presença, mas a maioria dos representantes dos países europeus não assistirão ao evento

Dezenas de países, entre eles muitos europeus, não marcarão
presença neste domingo em um evento do Ministério das Relações Exteriores de
Israel, que contará com a participação do titular desta pasta e do
primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, para celebrar a inauguração da embaixada
dos Estados Unidos em Jerusalém, que acontece amanhã.

No evento, programado para a tarde de hoje na sede do
ministério israelense, ao qual devem comparecer cerca de mil pessoas,
participarão as máximas autoridades israelenses assim como a delegação
americana que chegou ao país para a inauguração, que inclui Ivanka Trump, filha
e assessora do presidente Donald Trump, e seu marido e também assessor
presidencial, Jared Kushner.

Continua após a publicidade

Entre os 86 embaixadores e encarregados de negócios
convidados para a cerimônia, 40 confirmaram presença, mas a maioria dos
representantes dos países europeus não assistirão ao evento por não concordarem
com a mudança da máxima representação diplomática dos EUA de Tel Aviv para
Jerusalém, por romper com o consenso da comunidade internacional.

Entre os países que não comparecerão ao evento estão
Espanha, Reino Unido, França e Itália. No entanto, outros países do Velho
Continente confirmaram a presença de seus representantes, entre eles Romênia,
Hungria, Áustria e República Tcheca, segundo um comunicado do Ministério das
Relações Exteriores israelense.

De acordo com a emissora de notícias israelense
“Channel 10”, as autoridades tchecas, húngaras e romenas bloquearam
um comunicado conjunto da União Europeia (UE) que criticava a mudança da
embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém.

Ontem à noite, a delegação da UE em Israel comunicou através
do Twitter que “seus Estados-membros seguirão respeitando o consenso
internacional sobre Jerusalém”, assim como a resolução 478 do Conselho de
Segurança da ONU de 1980, na qual1 ficou decidido que os Estados-membros
deveriam retirar suas embaixadas da Cidade Sagrada em rejeição à anexação
unilateral de Jerusalém Oriental por Israel.

Entre os que participarão do evento de hoje estará também a
ministra de Relações Exteriores da Guatemala, Sandra Jovel, que chegou ao país
para inaugurar na próxima quarta-feira a embaixada de seu país em Jerusalém,
seguindo os passos de Washington.

Também participam do evento os representantes de outros
países latino-americanos como República Dominicana, El Salvador, Honduras,
Panamá, Peru e Paraguai.

 Com informações da Agência EFE. 

Veja Também