Quem são as duas brasileiras mortas brutalmente nos EUA

Na última semana, duas mulheres brasileiras, Suzan Christian Barbosa e Elidênia Jorge da Silva, de 42 anos, foram encontradas mortas nos EUA

Postado em: 08-07-2024 às 15h43
Por: Rauena Zerra
Imagem Ilustrando a Notícia: Quem são as duas brasileiras mortas brutalmente nos EUA
Na última semana, duas mulheres brasileiras, Suzan Christian Barbosa e Elidênia Jorge da Silva, de 42 anos, foram encontradas mortas nos EUA I Foto: Reprodução

Na última semana, duas brasileiras foram encontradas mortas nos EUA. Uma mulher de 42 anos, foi encontrada sem vida em Northfield Township, Michigan, em 30 de junho. Enquanto isso, na Califórnia, , uma diarista goiana de 42 anos, foi achada morta na última quinta-feira, (4), em Richmond, na Califórnia. 

A brasileira Suzan Christian Barbosa Ferreira, natural de Pedro Leopoldo, na Grande Belo Horizonte, foi encontrada morta às margens de uma rodovia em Detroit, nos Estados Unidos. Os moradores da região encontraram o corpo de Suzan sem roupas.

Suzan atuava como funcionária da loja de produtos importados de sua irmã e cunhado há seis meses. No início de junho, viajou para os EUA em busca de fornecedores para os negócios da família. Foi a primeira vez que a vítima saiu do Brasil.

Continua após a publicidade

Veja imagem

Suzan Christian Barbosa Ferreira foi encontrada morta às margens de uma rodovia, na zona rural de Detroit I Foto: Arquivo pessoal

Ela desapareceu por uma semana antes de ser encontrada no último domingo (30). A principal suspeita da polícia é de crime sexual, segundo os parentes.

A polícia local não divulgou informações sobre a causa da morte ou possíveis suspeitos. Porém, os parentes da vítima acreditam que a mulher tenha sido vítima de violência sexual.

A família de Suzan, buscando respostas e o conforto de um sepultamento em seu país natal, iniciou uma campanha de arrecadação de fundos para custear o translado do corpo.

Diarista goiana é encontrada morta com facada no pescoço

A diarista goiana, Elidênia Jorge da Silva, foi encontrada morta om uma facada no pescoço na quinta-feira (4) em Richmond. O principal suspeito do crime é o companheiro da vítima, outro brasileiro que está foragido.

A vítima era natural de Morrinhos, na região sul de Goiás. Há cerca de quatro anos ela trabalhava como diarista nos EUA e mantinha o relacionamento há dois anos

A família suspeita que Elidênia tenha sido morta na última terça-feira (2). Sobrinhos da mesma área encontraram a mulher morta na quinta-feira (4). O corpo já mostrava sinais de inchaço, de acordo com a família.

A diarista goiana, Elidênia Jorge da Silva, foi encontrada morta om uma facada no pescoço I Foto: Arquivo pessoal

Informações de familiares também detalham que a diarista já havia sido vítima de violência por parte do companheiro, que chegou a ser preso duas vezes.

O primeiro caso de agressão teria ocorrido no aniversário da diarista, no dia 5 de dezembro de 2023. Uma prima informou o sobrinho da agressão e ele chamou a polícia. Ao chegar no local, descobriu que a mulher tinha o olho roxo.

Após revelar que havia batido o olho enquanto limpava a casa, ela disse a verdade e o homem foi preso no mesmo dia. Mesmo assim, dias depois foi liberado. O homem fazia ameaças por telefone de dentro da prisão, disse o sobrinho da vítima. Mesmo assim, dias depois foi liberado. O homem fazia ameaças por telefone de dentro da prisão, disse o sobrinho da vítima. Ele foi preso novamente em março deste ano, mas também foi liberado.

A polícia local ainda não divulgou nada sobre o caso. O corpo da mulher está previsto para ser liberado ainda nesta segunda-feira (8).

Veja Também