Itaipu Binacional: gigante da energia renovável e desenvolvimento sustentável

A empresa é uma coleção de grandezas, seja pelos seus números ou suas ações

Postado em: 23-09-2022 às 09h05
Por: Redação
A grandeza da Itaipu é comprovada por outros dados igualmente superlativos | Foto: Reprodução

Referência na promoção da energia renovável e uma das maiores hidrelétricas do mundo, a Itaipu Binacional surgiu a partir de duas ideias audaciosas: aproveitar o enorme potencial energético do Rio Paraná, o oitavo maior do planeta, e ao mesmo tempo pôr fim a uma disputa secular de terras na fronteira entre Brasil e Paraguai. Comprometidos com o progresso, ambos os países viram na engenharia a saída diplomática para um problema territorial. Cooperação que segue viva no cotidiano da empresa, passadas mais de quatro décadas.

Regida por um tratado internacional que completará 50 anos em 2023, a Itaipu é uma coleção de grandezas, seja pelos seus números ou suas ações. Com 14 mil MW de potência instalada, é a maior geradora de energia acumulada do mundo, tendo produzido mais de 2,8 bilhões de megawatts-hora (MWh) desde 1984. Isso a partir dessa matriz limpa e renovável, que é a hidroeletricidade. 

A grandeza da Itaipu é comprovada por outros dados igualmente superlativos. Para zelar pelo nosso insumo, a água, desde o início da construção da usina recuperamos e protegemos quase 1.397 km de matas ciliares no lado brasileiro de nosso reservatório. Cuidamos de rios, nascentes e de mais de 100 mil hectares de áreas preservadas no Brasil e Paraguai, medida que contribui para a preservação da Mata Atlântica. 

Continua após a publicidade

Com isso, chegamos à marca de 24 milhões de árvores plantadas e fomos reconhecidos pela Unesco como uma das Reservas da Biosfera da Mata Atlântica, maior status de proteção ambiental global. Não à toa, também fomos premiados pela Organização das Nações Unidas (ONU) e somos reconhecidos mundo afora como um modelo de preservação do meio ambiente atendendo aos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030.

O avanço está no nosso DNA. Somos uma empresa que investe em melhorias contínuas, em todas as esferas. Neste momento, passamos por um processo de atualização tecnológica para substituição de equipamentos auxiliares das nossas 20 unidades geradoras. Os investimentos, ao longo de até 14 anos, giram em torno de US$ 900 milhões. Esta é a ação mais ambiciosa da empresa desde a sua construção. 

Mas Itaipu não se resume à geração de energia limpa e renovável. Temos nos dedicado ao suporte de estudos de novas fontes de energia, como biogás, biometano, hidrogênio e solar, enquanto nossa produção confere segurança e resiliência ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Também contribuímos para a segurança energética e sustentável de produtores rurais, por meio de projetos de microrredes elétricas em área rural, auxiliando na definição de políticas para inserção dessas ao sistema. 

Dessa forma, somos exemplo de gestão e comprometimento de recursos que tragam impacto positivo à sociedade. Temos diuturnamente nos aproximado das melhores práticas do mercado, com redução de custos e de olho no futuro. A gestão racional com austeridade ampara todas as medidas. Ela é uma das nossas cinco “ideias-força”, que contemplam ainda a binacionalidade, proatividade, meritocracia e imagem institucional.

Tais ações de gestão, alinhadas à orientação do governo brasileiro, possibilitaram investimentos em obras estruturantes e que deixarão um legado em benefício da sociedade. Ainda em 2022, inauguraremos a nova ponte que conecta Brasil e Paraguai sobre o Rio Paraná, na região das Três Fronteiras. Conhecida como Ponte da Integração, a estrutura integrará ainda mais Brasil e Paraguai, encurtando distâncias e fortalecendo o comércio exterior e o turismo. A construção da ponte, que começou em 2019, é apenas uma entre as muitas obras estruturantes custeadas pela Itaipu nos últimos três anos.

No campo social, somos uma empresa responsável por movimentar economias e criar oportunidades. Em 2022, até o final de agosto, havíamos gerado US$ 263,6 milhões em royalties nos dois países. Ao todo, desde 1985, quando foram iniciados os pagamentos, houve liberação de mais de US$ 12 bilhões para ambas as nações. Seguimos amparando iniciativas socioambientais, educativas, esportivas, culturais e tecnológicas, desde que alinhadas à missão da empresa: “Gerar energia elétrica de qualidade e com responsabilidade social e ambiental, contribuindo com o desenvolvimento sustentável no Brasil e no Paraguai”.

Contribuímos, ainda, para o enfrentamento à Covid-19 nos dois países. Ao longo de mais de dois anos, investimos diretamente na saúde, apoiamos entidades sociais e desenvolvemos ações para o turismo, principal atividade econômica regional.

Itaipu é isso, uma empresa com enorme importância para dois países, que não se resume à promoção do desenvolvimento em diferentes áreas e assume seu compromisso de renovação sem esquecer de seu passado. Mais do que uma empresa, somos um símbolo de impulsionamento do progresso com responsabilidade socioambiental.

Anatalicio Risden Junior é diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional 

Veja Também