Delator diz que ex-ministro recebia propina de 1%

Fernando Moura disse que ex-ministro se beneficiava de valores de contratos na Petrobras

Postado em: 04-02-2016 às 00h00
Por: Redação
Fernando Moura disse que ex-ministro se beneficiava de valores de contratos na Petrobras

Em novo depoimento na tarde desta quarta-feira ao juiz federal Sérgio Moro, no âmbito da Operação Lava-Jato, o delator Fernando Moura afirmou que 3% dos valores dos contratos firmados na diretoria de Serviços da Petrobras durante a gestão de Renato Duque eram divididas em partes iguais pelo grupo petista de José Dirceu, em São Paulo, para o PT Nacional, inicialmente comandado por Delúbio Soares e depois por demais tesoureiros, e por Duque e seus subordinados. 

– As primeiras conversas que a gente teve, negociei eu, ele (Duque) e Silvinho (Pereira) foi em relação às plataformas (de petróleo), da 51 a 56. E depois um oleoduto que ia sair e acabou não saindo. Nesse dia a gente definiu que seria 1% pro núcleo São Paulo, 1% para o núcleo nacional, e 1% para a companhia, Renato Duque e seus gerentse. Três por cento do contrato ao todo – explicou Moura, esclarecendo que o núcleo São Paulo era composto pelo PT paulista, sobretudo aliados do ex-ministro da Casa Civil e o núcleo nacional era comandado por Delúbio Soares e depois por outros tesoureiros do PT. Segundo Moura, Dirceu usava o dinheiro em campanhas de candidatos aliados. 

Moura falou por cerca de uma hora e meia. O novo depoimento foi feito a pedido da defesa dele depois de o réu contradizer os termos de sua delação premiada ao Ministério Público Federal diante da Justiça Federal há quase duas semanas. Moura afirmou que mentiu diante de Moro porque teria sido ameaçado por um desconhecido um dia antes do depoimento e agiu por “desespero” e “para proteger a família”. (AG) 

Veja Também