Itamaraty condena lançamento de foguete de longo alcance pela Coreia do Norte

A ação, repudiada pela comunidade internacional, é vista como um teste secreto de mísseis

Postado em: 08-02-2016 às 10h36
Por: Redação
A ação, repudiada pela comunidade internacional, é vista como um teste secreto de mísseis

O Itamaraty apoiou
ontem (7) a condenação emitida pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas ao
anúncio de lançamento de satélite de longo alcance pela Coreia do Norte. A ação, repudiada pela comunidade internacional, é vista como um
teste secreto de mísseis.

A declaração unânime do Conselho de
Segurança, que em breve anunciará novas sanções ao país, foi feita após reunião
de emergência convocada a pedido dos Estados Unidos e do Japão. A China,
principal aliado de Pyongyang, e outros 14 países que compõem o colegiado
apoiaram a manifestação do órgão executivo da ONU.

Em nota o Ministério das Relações
Exteriores destaca que o Brasil “deplora” a decisão do governo norte-coreano de
lançar um satélite com emprego de tecnologia de mísseis balísticos, em violação
às resoluções do Conselho de Segurança.

Continua após a publicidade

“O governo brasileiro conclama a República
Popular Democrática da Coreia a abster-se de atos que prejudiquem a via do
diálogo e da negociação diplomática. Também insta Pyongyang a retomar as
Conversações Hexapartites, reintegrar-se o mais cedo possível ao Tratado de Não
Proliferação Nuclear como Estado não nuclearmente armado e a assinar e
ratificar o Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares”, destacou a nota
divulgada hoje.

Em resposta às críticas internacionais, o
governo norte-coreano assegurou que o lançamento de um satélite de observação
terrestre faz parte de um programa espacial exclusivamente científico. O anúncio do lançamento espacial feito pela
Coreia do Norte ocorre menos de um mês após as autoridades norte-coreanas terem
informado que testaram uma miniatura de bomba nuclear de hidrogênio, cujos
efeitos são muito mais potentes que os de uma bomba de urânio. (Agência Brasil) 

Foto: reprodução

Veja Também