Comitiva é recebida como pioneira na Nova Zelândia

Postado em: 19-02-2016 às 00h00
Por: Redação

Um encontro de representantes de dois estados altamente interessados em se conhecer. Um dia inteiro em Wellington, a capital política do país, para a comitiva goiana na Oceania aprender sobre a Nova Zelândia e ensinar sobre Goiás. A agenda do governador Marconi Perillo (PSDB) dedicou-se a expor as características de Goiás e buscar aproximação de interesses na área de educação, turismo e pecuária – o tripé da economia neozelandesa. Marconi Perillo apresentou um seminário, com aspectos do estado que governa, para investidores e empresas que vislumbram negócios com o Brasil, convidados a iniciar seus planos por Goiás.

Em visita à Agência Nacional de Turismo da Nova Zelândia, Marconi colocou o Governo de Goiás à disposição para um trabalho de interesse bilateral, tanto para intercâmbio de turistas, como para divulgação dos atrativos turísticos mútuos. O grande desafio para ambos é a dificuldade de locomoção entre os dois destinos, já que entre o Brasil e a Nova Zelândia a distância a ser percorrida é o limite da capacidade de voo da atual tecnologia de aviação comercial. Os neozelandeses fazem propaganda intensa do país e usam como tática o contato direto com turistas em potencial.

Marconi e comitiva também se encontraram com representantes da New Zeland Education, uma espécie de agência de ligação entre o setor educacional e o lado comercial que ela representa para o país. Ele falou sobre o interesse de Goiás em realizar intercâmbio de estudantes, como prevê o programa Goiás Sem Fronteiras – uma das âncoras do projeto Inova Goiás.

Em visita ao Parlamento neozelandês, fez um balanço dos interesses de Goiás no estreitamento das relações com a Nova Zelândia. Como nos demais países fiéis à coroa inglesa, os ministros do governo são paramentares que continuam no exercício do mandato e respondem pela agenda pública. O deputado, presidente do parlamento e ex-ministro da agricultura, Hon David Carter, recebeu a comitiva como especialista nas relações entre a Nova Zelândia e a América Latina. Carter mostrou interesse e prometeu esforço para diminuir a distância que separa os dois países, inclusive quanto ao conhecimento mútuo. A estratégia que combinaram foi a de encorajar a aproximação entre os jovens dos dois países, acreditando que novas gerações serão capazes de promover essa aproximação.

Em todos os encontros, o governador se esmerou para explicar os efeitos e as possibilidades futuras da economia e da política no Brasil. Manifestou otimismo em relação à recuperação e se declarou incentivador de reformas estruturais a cargo do Governo Federal. O governador procurou mostrar a possibilidade de transformar a crise em oportunidades, principalmente para os investimentos estrangeiros. 

Compartilhe: