Joaquim Barbosa afirma que houve “impeachment tabajara” de Dilma Rousseff

Barbosa afirmou que não acompanhou e não quis perder tempo com o processo que culminou com o afastamento definitivo de Dilma Rousseff

Postado em: 31-08-2016 às 19h35
Por: Redação
Barbosa afirmou que não acompanhou e não quis perder tempo com o processo que culminou com o afastamento definitivo de Dilma Rousseff

INGRID REIS

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa classificou o processo de impeachment como "impeachment tabajara". As mensagens foram divulgadas em inglês, português e francês nesta quarta-feira (31) por meio de seu perfil no Twitter. Barbosa afirmou que não acompanhou e não quis perder tempo com o processo que culminou com o afastamento definitivo de Dilma Rousseff
.
Por meio da rede social, o ex-presidente do STF ressaltou que “mais patética ainda foi a primeira entrevista do novo presidente do Brasil, Michel Temer”. Ele ponderou ainda que “o homem parece acreditar piamente que terá o respeito e a estima dos brasileiros pelo fato de agora ser presidente. Engana-se”.

Atualização

Continua após a publicidade

Não tardou muito para que a assessoria atualizasse o cargo de Temer nas redes sociais. Pouco depois da votação que afastou definitivamente a petista da Presidência, Temer alterou a imagem de capa da rede social para uma foto da posse, que ocorreu na tarde de hoje.
Ao contrário de Temer, a agora ex-presidente Dilma Rousseff ainda continua como “Presidente do Brasil” no Twitter. Ainda por meio da rede social, a presidente afastada afirmou que lutara incansavelmente para construir um Brasil melhor.  “Um carinhoso abraço a todo povo brasileiro, que compartilha comigo a crença na democracia e o sonho da justiça #LutarSempre”, escreveu a presidente afastada.

Trend Topic Twitter

Muitos brasileiros acompanharam o processo de afastamento definitivo de Dilma por meio de redes sociais. Até o fechamento desta matéria, a hashtag #ImpeachmentDay ficou em primeiro lugar no Trend Topic do Twitter no Brasil e em terceiro no mundo.
 (Foto: Nelson Jr./SCO/STF )

Veja Também