Zé Gomes praticamente eleito em Itumbiara

Petebista, que geriu a cidade por dois mandatos, lidera com folga no levantamento realizado pelo Instituto Serpes

Postado em: 02-09-2016 às 16h10
Por: Redação
Petebista, que geriu a cidade por dois mandatos, lidera com folga no levantamento realizado pelo Instituto Serpes


MARDEM COSTA JR.
 
O ex-deputado e ex-prefeito José Gomes da Rocha (PTB) é considerado uma fenômeno em Itumbiara. Isso fica claro na pesquisa de intenção de voto para a prefeitura da cidade realizada entre os dias 24 a 26 de agosto pelo Instituto Serpes, encomendada pelo jornal O Popular. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número GO-04005/2016.

Se as eleições fossem hoje Rocha lidera com folga, com 59,4%. Muito atrás, em segundo lugar, aparece o deputado e ex-aliado Álvaro Guimarães (PR) – com 14,2%. Com um dígito, Cesinha (PDT) registra parcos 2,2%. Indecisos somam 15,5% e 8,7% anulariam o voto.

Na espontânea, Zé Gomes – como o petebista é conhecido – é líder isolado, angariando 34,2% dos entrevistados. Guimarães foi lembrado por 6% dos ouvidos, enquanto Cesinha foi citado por apenas 1%. Indecisos ou que anulariam o voto são, respectivamente, 52,4% e 6,5%.

Continua após a publicidade

Já no quesito rejeição, o republicano aparece em primeiro lugar – ele é citado negativamente por 19,5% dos entrevistados, seguido pelo pedetista, apontado por 17,2%. Rocha é rejeitado por 14,5%. Eleitores indecisos ou apáticos somam 5,2% e outros 57,9% afirmam não rejeitar ninguém.

A avaliação negativa do prefeito Chico Balla (PTB) – eleito com o apoio de Rocha – parece não ser levada pelos eleitores de Itumbiara. Balla foi avaliado negativamente por 36,6% dos entrevistados pelo Serpes, sendo que 25,4% o avaliam como péssimo e os outros 11,2% como ruim. O atual gestor municipal é considerado regular por 39,2% dos ouvidos, enquanto o índice positivo soma 22,2% – a administração é avaliada como boa por 18% e ótima por 4,2%.
Histórico

José Gomes da Rocha é de Itumbiara e está na vida pública desde os anos 70, quando foi eleito vereador da cidade pelo extinto MDB. No final dos anos 80 assumiu, como suplente, mandato de deputado federal pelo também extinto PDC – atual PP.

Rocha foi coordenador regional da campanha de Fernando Collor (PTC-AL) nas eleições de 1989. Um ano depois, conseguiu manter-se na Câmara dos Deputados como titular, onde ficou até 2002.

O petebista quase perdeu o mandato na Câmara, acusado de ter contratado jogadores para o time homônimo de futebol da cidade – ele era presidente da agremiação – como servidores de seu gabinete.

Para escapar de uma possível cassação, Zé Gomes decidiu disputar a eleição de deputado estadual pelo PMDB. Logo após assumir o mandato na Assembleia Legislativa, em 2003, Rocha migrou para o PTB, onde disputou e foi eleito prefeito de Itumbiara no ano seguinte.

Após dois mandatos de prefeito da cidade-pólo da região Sul, onde foi bem-avaliado pela população, Rocha assumiu a presidência da Saneago em 2013, a convite do governador Marconi Perillo (PSDB).        
Processo

O petebista respondeu um processo de improbidade administrativa impetrado contra ele pelo Ministério Público de Goiás (MPGO). O político foi acusado de utilizar maquinário e servidores públicos municipais em benefício próprio e do agropecuarista Júlio Cezar Vaz de Melo.

Zé Gomes foi absolvido pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), cujos membros seguiram o voto favorável do relator da matéria, desembargador Luiz Cláudio Veiga Braga.

Veja Também