51 kits são entregues por Marconi Perillo nesta sexta

Na entrega ele declarou que Goiás caminha para consolidar posição de maior gerador de emprego do País

Postado em: 16-09-2016 às 18h20
Por: Toni Nascimento
Na entrega ele declarou que Goiás caminha para consolidar posição de maior gerador de emprego do País


Marconi Perillo disse na entrega de 51 kits que vão possibilitar a informatização do serviço de confecção de Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), na rede do Sistema Nacional de Emprego (Sine) em Goiás nesta sexta-feira (16), que o estado caminha para se consolidar a posição do estado brasileiro mais competitivo na geração de emprego, disse o governador Marconi Perillo.

O evento, que contou com a presença de entidades ligadas aos trabalhadores e foi realizado no auditório Mauro Borges do Palácio Pedro Ludovico Teixeira (PPLT), em Goiânia.

Cada kit é composto por um mini tablet coletor de assinatura, um coletor de impressão digital e uma webcam (câmera fotográfica para computador). Os aparelhos começam a ser distribuídos e instalados para as unidades do Sine, do Estado, a partir da próxima semana.

Continua após a publicidade

Com os kits cedidos pelo ministério em Goiás, o novo modo informatizado de confecção de carteira de trabalho começa na primeira quinzena de outubro. Até lá, os servidores da rede Sine serão treinados para operar o novo sistema.

 Segundo dados do Caged, indicador da geração de emprego do Ministério do Trabalho e Previdência Social, foram abertos em Goiás no primeiro semestre deste ano 16.614 postos de trabalho. O número é quase três vezes maior que o do segundo colocado, o Estado do Mato Grosso, que encerrou o período com a geração de 5.730 novas vagas.

O representante do ministro Ronaldo Nogueira (Trabalho e Previdência Social), Leonardo Arantes, que ocupa o cargo de secretário nacional de Políticas Públicas do Emprego do Ministério, afirmou que os kits vão reduzir o tempo médio de confecção da carteira. “O tempo médio para obter a carteira de trabalho era de 40 dias. Vamos reduzir para cerca de 15, com o novo sistema, afirmou.
 
 (Agecom)

Veja Também