Deputado propõe aumento do programa Mães de Goiás para R$ 300

Entre os projetos mais importantes estão o Mães de Goiás e o ProGoiás Rural.

Postado em: 17-07-2021 às 10h09
Por: Luan Monteiro
Entre os projetos mais importantes estão o Mães de Goiás e o ProGoiás Rural | Foto: Reprodução

Deputados estaduais iniciaram nesta sexta-feira (16/07), período de autoconvocação na Assembleia Legislativa de Goiás. Projetos enviados pelo governo estadual receberam pedidos de vistas durante sessão extraordinária. Entre as matérias mais importantes a serem analisadas pelos parlamentares estão o Mães de Goiás (Programa de Transferência de Renda), o ProGoiás Rural. As discussões serão retomadas na segunda-feira (19) e deverão ser encerradas até a terça-feira (20).

O programa de transferência de renda, Mães de Goiás, destinado a garantir atenção social e financeira às mães que tenham filhos com até seis anos de idade e que vivem em situação de extrema pobreza, recebeu sete pedidos de vista. Houve debate entre parlamentares de situação de oposição. Antônio Gomide (PT) defendeu a ampliação do programa para outros tipos de grupos que estão enfrentando dificuldades.

“Estamos vivendo um momento em que o registro da Covid em Goiás chegou a 2620 novos casos e 102 mortes pela doença em 24 horas. O índice de letalidade é de 2,83%. Há um mês era menor. Estamos aqui hoje para analisar um projeto importante que é o Mães de Goiás que o governo encaminhou para esta Casa. Eu quero aqui alertar que é um momento que o governo pode ajudar mais não apenas a extrema pobreza, mas a pobreza. Precisamos sair da renda per capita de R$ 89 para atingir até o gasto per capita R$ 178 por pessoa. Goiás é um estado de grãos e pode ajudar neste momento de pandemia”, disse Gomide. Lêda Borges também ponderou sobre o Mães de Goiás. “Não estou compreendendo a urgência destas matérias. Em julho votar isso. No final de governo”, destacou a deputada.

Continua após a publicidade

Já o líder do governo na Assembleia Legislativa Bruno Peixoto (MDB) ressaltou que a discussão sobre o assunto não pode esperar. “Nós temos que cuidar das famílias, Lêda, estamos falando de programas sociais que vão atingir mais de 100 mil famílias. Estamos falando de auxílios, do Mães de Goiás. Pelo CAD ÚNICO   que são quase 90 mil famílias. Temos projetos importantes. Não são programas pra fazer política. Nós pegamos um estado quebrado, sem dinheiro, sem pagar o Renda Cidadã, o Bola Universitária”, relatou o parlamentar.

Em relação ao ProGoiás Rural, recebeu sete pedido de vistas de Lêda Borges (PSDB), Major Araújo (PSL), Karlos Cabral (PDT), Alysson Lima (Solidariedade), Delegado Eduardo Prado (DC), Talles Barreto (PSDB) e Antônio Gomide (PT). Para o presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira, Goiás tem ficado menos competitivo do que outros estados produtores de bens agropecuários. Segundo o deputado, o programa promoverá uma alteração nas alíquotas do ICMS. “Esse ProGoiás Rural é para regulamentar e regularizar as vendas do Feijão, Milho e Peixe para fora do estado. Nós estamos perdendo para concorrentes que tem o ICMS mais barato, então estamos fazendo uma lei para resolver essa questão, alterando a alíquota”, destacou.

Veja Também