“A política econômica de Guedes é ultrapassada e equivocada”, diz Adriana Accorsi

Postado em: 07-09-2021 às 17h41
Por: Luan Monteiro
Durante manifestação neste 7 de setembro, deputada estadual disse que forma que ministro conduz a economia do país é ultrapassada e não utilizada em nenhum país capitalista | Foto: Victoria Lacerda

Durante a manifestação do Grito dos Excluídos que, entre outros pontos, pedia pelo fim do governo do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), realizada na manhã desta terça-feira (07/09), a deputada estadual Delegada Adriana Accorsi (PT) criticou a condução do ministro da Economia, Paulo Guedes. Para a deputada, o formato econômico empregado por Guedes é ultrapassado e equivocado.

Accorsi acredita que a melhor forma de se melhorar a economia do país é com dinheiro na mão do trabalhador. “Sabemos que o trabalhador assalariado é o que mais consome, o que faz girar a economia. Precisamos da a esses trabalhadores o poder de compra, através do emprego, de direitos trabalhistas e aposentadoria para que ele possa consumir e girar a economia”, explica.

“Quando só os ricos do país têm dinheiro, eles especulam e especulam no exterior, o que não trás recurso para girar no país. A política econômica de Guedes é uma política que não é nem capitalista mais, ela é muito ultrapassada e não é utilizada nos países capitalistas. Ela é muito ruim, e está demostrado que é equivocada”, diz.

“Nos próximos meses, até que tenhamos um resultado eleitoral, a economia do país vai piorar muito. Sobretudo o desemprego e o aumento dos preços, que está desenfreado e esse governo não tem nenhum tipo de controle”, continuou.

Para Adriana, as manifestações de 7 de setembro tem um significado especial, que é a luta pela democracia. “O 7 de setembro marca o aniversário da independência de nossa república, mas este ano tem um significado especial, que é a luta pela democracia, pelo desenvolvimento do nosso país com inclusão social e pela defesa dos nossos trabalhadores”, afirma.

Segundo a deputada, o apoio a Bolsonaro tem caído devido a seu equívoco a condução do país. “Há um grande desemprego, situação de fome, devido a altos preços e também desequilíbrio político, o que faz com ele perca um grande número de apoiadores diariamente”, completa.

As manifestações contrárias a Bolsonaro ocorreram nesta terça-feira (07) em 23 cidades de Goiás. Em Goiânia, os atos reuniram milhares de pessoas e todos os partidos representantes da esquerda. O ato teve início as 9h na Praça dos Bandeirantes, no Centro, e terminou na Catedral de Goiânia.

Compartilhe: