Eleições: ministro de Bolsonaro pode se lançar candidato ao Senado por Goiás

Mato Grosso também é uma das possibilidades sondadas por Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura | Foto: reprodução

Postado em: 21-09-2021 às 15h37
Por: Carlos Nathan Sampaio
Mato Grosso também é uma das possibilidades sondadas por Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura (na imagem Tarcísio está à direita) | Foto: reprodução

Muitas pessoas já pedem o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, como candidato a presidente em 2026, após uma possível reeleição de Bolsonaro em 2022. A possibilidade, porém, não parece ser absurda já que o trabalho do ministro vem sendo um dos destaques do governo Bolsonaro e também porque o próprio Tarcísio afirmou que, nas próximas eleições, poderia até mesmo ser candidato a senador por Goiás ou Mato Grosso.

Em uma entrevista recente ao Estadão/Broadcast, o ministro disse que pode sim entrar na disputa eleitoral, mas não necessariamente para ocupar o Palácio dos Bandeirantes, como candidato ao governo de São Paulo. “Vou caminhar junto com o presidente. Não sei se exatamente num governo de Estado, não sei se exatamente em São Paulo. De repente no Parlamento, de repente em Goiás. Por exemplo, por que não o Senado em Goiás?”, afirmou ele, que também mencionou a possibilidade de concorrer por Mato Grosso. Os dois Estados, no entanto, não tem qualquer ligação com Tarcísio, já que ele nasceu no Rio de Janeiro e foi radicado em Brasília.

Apesar disso, o ministro, que também é engenheiro e militar, não poupou visitas à Goiás. Foram 6 agendas cumpridas no Estado que mostram a intenção de Tarcísio ampliar os laços com o eleitorado goiano. A visita mais recente, inclusive, foi na última sexta-feira (17/09) em Mara Rosa, região norte do Estado, no lançamento das obras da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), na GO-347. O governador Ronaldo Caiado (DEM) e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido), estavam presentes. Tarcísio também cumpriu diversas agendas em Mato Grosso nos últimos meses. O partido do ministro, porém, não foi definido.

Veja Também