Tal qual Bolsonaro, Gabriela Rodart exalta ser única vereadora não vacinada em Goiânia

A parlamentar chamou a mídia de porca e foi ovacionada pelos seguidores, muitos deles, também afirmando nos comentários não terem se vacinado | Imagem: reprodução

Postado em: 21-09-2021 às 16h08
Por: Carlos Nathan Sampaio
A parlamentar chamou a mídia de porca e foi ovacionada pelos seguidores, muitos deles, também afirmando nos comentários não terem se vacinado | Imagem: reprodução

“Ser perseguida pela mídia porca por defender a liberdade individual não é um problema, é uma honra. Estou em boa companhia”, disse a vereadora Gabriela Rodart (DC) em uma postagem nas suas redes sociais onde ela exalta o fato de ser a única vereadora não vacinada contra Covid-19, em Goiânia. A parlamentar se comparou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que, entre os 19 líderes do G20 (composto pelas 19 principais economias mais a União Europeia), é o único não vacinado e que afirmou que não iria tomar para ir ao evento anual da Organização das Nações Unidas que aconteceu em Nova York nesta semana.

Além da postagem “polêmica”, pois não basta exaltar que não se vacinou e que luta pela liberdade, Rodart precisa usar da mesma liberdade para insultar os veículos de comunicação que apenas divulgam o fato de ela não se imunizar, assim como qualquer outra pessoa pública que se vacinou ou não, já que é o trabalho da imprensa. A vereadora também foi ovacionada por centenas de seguidores que afirmaram também serem os únicos da família e do trabalho a não tomar vacina. Confira a postagem:

Vale lembrar que, apesar de a vereadora estar exercendo sua liberdade individual não se imunizando, as vacinas contra a Covid-19 funcionam e a orientação é de que todos que possam, se vacinem. A Fiocruz constatou que o número de casos e de mortes por covid-19 no Brasil sofreu a maior queda desde o início de 2021. O recuo foi de 3,8% ao dia na última Semana Epidemiológica entre 5 a 11 de setembro. O País registra agora doze semanas consecutivas de redução nos óbitos. Os dados constam da nova edição do Boletim do Observatório Covid-19 da instituição, divulgado na última semana.

Veja Também