Após acordo com Caiado, Daniel faz revelações sobre MDB no governo, Iris e Mendanha

O presidente do MDB, Daniel Vilela, comentou na manhã desta segunda-feira (27/09) sobre a efetivação da aliança do partido com o DEM

Postado em: 27-09-2021 às 12h35
Por: Nielton Soares
“Gustavo foi uma pessoa sempre teve as oportunidades que solicitou, junto ao partido: ser vereador duas vezes e ser prefeito duas vezes”, afirmou o presidente emedebista | Foto: reprodução

O presidente do MDB, Daniel Vilela, comentou na manhã desta segunda-feira (27/09) sobre a efetivação da aliança do partido com o DEM do governador Ronaldo Caiado, que ocorreu na última sexta-feira (24/09). O nome dele foi anunciado para a vice na candidatura à reeleição do democrata.  

O emedebista concedeu entrevista ao jornalista Jackson Abrão, do jornal O Popular. Questionado se o MDB já faria parte da atual gestão de Caiado, ele disse que não discutiu com o governador sobre a participação da legenda na administração.

“O MDB entende que isso não é algo que precisa ser discutido, imposto como condição para uma aliança. Precisamos fazer parte de um projeto, está ao lado, agregando”, disse, deixando em aberto a possibilidade: “o MDB estará à disposição”, se o governador precisar.

Continua após a publicidade

Em relação à participação do ex-prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), nas articulações com Caiado, Daniel confirmou que o papel do político foi importante. “Essa é uma aliança que vem sendo discutida desde o primeiro semestre. Iris é nosso grande líder, nosso grande conselheiro. Tive em algumas oportunidades falando com ele sobre isso. E o entendimento dele é que o partido deveria fazer a reflexão de construir essa aliança”, confirmou.

O ex-deputado federal foi perguntado acerca de insatisfações dentro do partido, como do prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), que já cogita a desfiliação e filiação a outra legenda.

“Essas pessoas precisão reconhecer uma decisão democrática do partido e estar juntos, mesmo que tinham uma tese diferente. Gustavo foi uma pessoa que sempre teve as oportunidades que solicitou junto ao partido: ser vereador duas vezes e ser prefeito duas vezes. Sempre teve o apoio de todas as lideranças do partido”, pontou.

Daniel emendou que Mendanha precisa de ter maturidade. “A gente espera que ele possa, em um momento de mais condições, sem cabeça quente, refletir tudo isso, e estar ao lado daqueles que o admiram, que o apoiaram sempre, e querem o bem dele”, disse, criticando a aproximação do prefeito de Aparecida do grupo que chamou de adversários históricos, citando o ex-governador Marconi Perillo (PSDB).  

Veja Também