Em sessão do CNMP, relator vota por demissão de 11 procuradores da Lava Jato

Os procuradores, em resposta ao Conselho, disseram que não havia nenhum pedido de segredo de Justiça pela acusação ou a defesa, nem decretação de sigilo pelo juiz. 

Postado em: 29-09-2021 às 11h47
Por: Victoria Lacerda
Os procuradores, em resposta ao Conselho, disseram que não havia nenhum pedido de segredo de Justiça pela acusação ou a defesa, nem decretação de sigilo pelo juiz. | Foto: Reprodução

Na última terça-feira (28/09), o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) iniciou o processo que pode resultar na demissão de 11 procuradores da República que integravam a extinta Lava Jato. Os ex-ministros Romero Jucá e Edison Lobão são os responsáveis pelo processo movido. Eles acusam os procuradores de divulgarem informações sigilosas por meio da assessoria de imprensa do Ministério Público Federal (MPF). 

Rinaldo Reis é o corregedor Nacional do CNMP e relator do caso, ele ficou marcado por ser o primeiro a se manifestar, reforçando a proposta de demissão dos procuradores. De acordo com sua manifestação, a pena deveria ser aplicada e depois o plenário do conselho decidir se ela poderia ser convertida como suspensão. 

Os procuradores, em resposta ao Conselho, disseram que não havia nenhum pedido de segredo de Justiça pela acusação ou a defesa, nem decretação de sigilo pelo juiz. 

Continua após a publicidade

Por um pedido de vista do conselheiro Silvio Amorim Júnior, o julgamento foi suspenso pela necessidade de avaliar melhor o caso. O caso será pautado somente para a próxima sessão do CNMP, prevista para o dia 14 de outubro. 

Veja Também