Bate-boca, provocações e propaganda marcam depoimento de Hang na CPI da Covid

O depoimento do empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da pandemia da Covid-19,

Postado em: 29-09-2021 às 12h34
Por: Nielton Soares
“Chama o VAR”, solicitou o empresário Luciano, segurando placas verde-amarelas, que foram recolhidas a pedido de Omar Aziz (PSD) | Foto: reprodução

O depoimento do empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da pandemia da Covid-19, está sendo marcada por bate-boca entre senadores, o investigado e a defesa.

Ele é suspeito de financiar ‘fake news’, integrar o chamado “gabinete paralelo” e ser conivente na promoção de medicamentos, sem eficácia comprovada contra a Covid-19, no âmbito das investigações da Prevent Senior.

No início do depoimento, Hang leu um texto narrando sua história de vida e pediu para transmitir um vídeo da empresa, o que foi aceito pelo presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD), porém, foi criticado por senadores, como sendo uma propaganda empresarial, usando o canal público.

A partir daí, os questionamentos do relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), com perguntas e respostas para sim ou não, foram interrompidas, devido senadores entenderem que o empresário seguiu exaltando a sua rede de lojas.

Continua após a publicidade

CPI saiu do controle, após senadores exigirem a retirada do advogado do investigado da sala, por suposto desrespeito a parlamentares. E com tumulto e até pedido de “VAR” (do inglês Video Assistant Referee) – utilizado no futebol para auxiliar o juiz em prováveis dúvidas – o presidente da CPI suspendeu a reunião.  

Veja Também