PT apaga nota em apoio à reeleição do ditador Daniel Ortega, na Nicarágua

Daniel Ortega foi reeleito presidente do país no último domingo (7), com 74,99% dos votos, após ordenar prisão de sete dos candidatos opositores.

Postado em: 11-11-2021 às 09h40
Por: Ícaro Gonçalves
Na imagem, Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT. Daniel Ortega foi reeleito presidente de Nicarágua no último domingo (7), após ordenar prisão de sete dos candidatos opositores | Foto: Reprodução

O Partido do Trabalhadores (PT), que havia publicado na segunda-feira (8/11) uma nota de apoio ao governante ditador da Nicarágua, Daniel Ortega, precisou apagar a publicação após duras críticas feitas tanto por opositores quanto por aliados. A deputada federal Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, alegou que o texto “não foi submetido à direção partidária”.

Daniel Ortega foi reeleito presidente do país no último domingo (7), com 74,99% dos votos. Este será o quinto mandato consecutivo de Ortega na Nicarágua, país que comanda desde 2007. O resultado ocorreu após Ortega ordenar a prisão de sete candidatos opositores, acusados de “traição à pátria”. Para completar, sua vice-presidente será sua esposa, Rosario Murillo.

No comunicado lançado na segunda-feira (8), o PT saudava o que chamou de “grande manifestação popular e democrática deste país irmão”.

Continua após a publicidade

“Os resultados preliminares, que apontam para a reeleição de Daniel Ortega e Rosario Murillo, da FSLN, confirmam o apoio da população a um projeto político que tem como principal objetivo a construção de um país socialmente justo e igualitário”, afirmava o partido.

Nota em apoio à Daniel Ortega havia sido publicada na segunda-feira (8)

As eleições gerais da Nicarágua foram alvo de denúncias e críticas da comunidade internacional, que denunciou fraudes no processo eleitoral.

“Nota sobre eleições na Nicarágua não foi submetida à direção partidária. A posição do PT em relação a qualquer país é a defesa da autodeterminação dos povos, contra interferência externa e respeito à democracia, por parte de governo e oposição. Nossa prioridade é debater o Brasil com o povo brasileiro”, afirmou Gleisi, em publicação em suas redes sociais.

Veja Também