Após quatro meses, Alcolumbre marca sabatina de André Mendonça para vaga ao STF

Postado em: 24-11-2021 às 11h58
Por: Ícaro Gonçalves
Alcolumbre argumentou que esperava realizar primeiramente as sabatinas para cargos com mandatos e não para vagas vitalícias | Foto: Reprodução/ Agência Senado

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, cedeu às pressões e marcou para semana que vem sabatina com o ex-advogado-geral da União, André Mendonça, indicado por Jair Bolsonaro para ocupar vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão ocorreu após quatro meses de espera. Em sua defesa, Alcolumbre argumentou que esperava realizar primeiramente as sabatinas para cargos com mandatos, como indicações para os Tribunais Superiores, e não para vagas vitalícias.

Informações dos bastidores ressaltam que, na realidade, o presidente da CCJ aguardava por uma possível substituição do nome de Mendonça pelo do atual procurador-geral da República, Augusto Aras.

“Pessoalmente se tivesse que escolher, eu optaria por colocar todos os cargos nesse momento, os cargos que dispõem de mandato e não os vitalícios”, afirmou em sua defesa. “Vou seguir integralmente a decisão do presidente Rodrigo Pacheco, de no esforço concentrado, com o quórum adequado, fazermos a sabatina de todas as autoridades que estão indicadas na comissão”, prosseguiu.

André Mendonça é advogado da União desde 2000, ocupando os cargos de advogado-geral da União entre 2019 e 2020 e de ministro da Justiça e Segurança Pública entre 2020 e 2021, no governo de Jair Bolsonaro. Mendonça também é pastor presbiteriano, sendo o nome “terrivelmente evangélico” que Bolsonaro prometeu indicar para uma vaga no STF.

Compartilhe: