Kajuru pede convocação de piloto que morreu em queda de avião da Chapecoense

Postado em: 30-11-2021 às 10h49
Por: Nielton Soares
CPI ouvia acusada boliviana de assinar o plano de voo sem reserva de combustível. No total, 71 pessoas morreram | Foto: reprodução

O senador Jorge Kajuru (Podemos-GO) solicitou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que o piloto do avião da Chapecoense, o boliviano Miguel Quiroga, fosse convocado para depor no Senado, que instalou um colegiado para apurar o caso.

A questão é que o piloto morreu também no acidente aéreo em 2016, quando foram vitimados todo o time da Chapeco e demais tripulantes, totalizando 71 pessoas, com exceção do único sobrevivente: o jornalista Rafael Henzel – narrador esportivo. Ele morreu em 2019 por decorrência de um infarto.

“Entendo que esse piloto deverá ser convocado por nós. Os verdadeiros culpados a gente ainda não ouviu”, disse Kajuru durante sessão da CPI, na última quinta-feira (25/11). O parlamentar goiano chegou a insistir, indagando: “Só não sei se aqui a CPI entende que ele deverá ser convocado. Será convocado?”.

Após a insistência, Kajuru foi alertado pelo presidente da comissão, o senador Jorginho Mello (PL-SC). “Senhor senador Kajuru, o piloto faleceu”. “O piloto faleceu?”, surpreendendo Kajuru, que aparentou confusão.

A comissão parlamentar na sessão ouvia a funcionária de trânsito aéreo, Celia Monasterio. Ela quem assinou o plano de voo do avião da LaMia, sem reserva de combustível. Antes do pedido de Kajuru, a mulher afirmou que era inocente e disse que quem deveria ser acusado pela acidente era o piloto.

A funcionário de trânsito foi presa em setembro deste ano pela Polícia Federal (PF). Anteriormente, ela foi considerada foragida pela polícia boliviana.   

Compartilhe: